8. Massacre de Maalot: 25 mortos

No 26º aniversário da independência de Israel, um grupo de terroristas palestinianos invadiu uma escola em Maalot, fazendo os alunos de reféns.

Massacre de Maalot

O massacre, que aconteceu em 15 de maio de 1974, foi comandado por membros da Frente Democrática para a Libertação da Palestina, que queriam a libertação de militantes árabes de prisões israelitas. Vinte e cinco pessoas foram mortas e 66 ficaram feridas.

7. Tiroteio em Sandy Hook: 26 mortos

Adam Lanza, o atirador que matou 20 crianças e seis adultos na escola Sandy Hook, tinha como obsessão o famoso ataque à Columbine. Em dezembro de 2012, o jovem, de 20 anos, invadiu a escola primária na cidade de Newtown e, depois de realizar o massacre, se matou.

Vítimas do tiroteio em Sandy Hook

6. Massacre de Virginia Tech: 33 mortos

A negligência dos responsáveis pela Universidade Virginia Tech causou a morte de 32 estudantes e um professor.

Na manhã de 16 de abril de 2007, o aluno Cho Seung-Hui, de 23 anos, foi até um dos alojamentos e matou duas pessoas. Apesar de a polícia chegar imediatamente após o crime, o estudante conseguiu fugir, o que levou as autoridades a pensarem que ele já havia abandonado o local.

Vítimas do atentado

Sem a suspensão das aulas, tudo continuou normal na Universidade, até que Cho retornou e atirou contra mais de 30 pessoas.

5. Explosão em Bath School: 45 mortos

O primeiro e mais violento atentado a uma escola nos Estados Unidos aconteceu no dia 18 de maio de 1927. Depois de matar a mulher a tiros, Andrew Kahoe, um fazendeiro da região, se dirigiu à escola Bath, no estado de Michigan, e explodiu o local com dinamites, matando a si mesmo e fazendo mais 44 vítimas.

Tragédia em Bath School

4. Incêndio na Kyanguli Secondary School: 67 mortos

No dia 26 de março de 2001, os alunos Felix Mambo Ngumbao, 16 anos, e Davies Otieno Onyango, 17, incendiaram a escola onde estudavam após terem suas provas canceladas por fraude. O crime matou 67 alunos e marcou a história do Quênia.

Incêndio na Kyanguli Secondary School

3. Tragédia na Escola em Peshawar: 141 mortos

Ao todo, 141 pessoas foram mortas quando um grupo talibã abriu fogo contra uma escola na cidade de Peshawar, no Paquistão, em 2014. O local era um centro de estudos para filhos de militares e foi invadido em resposta aos ataques do governo, segundo o líder do Taliban Muhammad Umar Khorasani. 

Vítimas do massacre

2. Tiroteio na Universidade de Garissa: 148 mortos

Em abril do ano passado, atiradores da milícia islâmica Al Shabaab invadiram a Universidade de Garissa com o objetivo de atacar cristãos. Durante 15 horas, os terroristas entraram nos quartos dos estudantes perguntando se eles eram cristãos ou muçulmanos. Ao todo, 148 pessoas morreram e 79 ficaram feridas.

Vítimas

1. Massacre de Beslan: 385 mortos

No dia 1º de setembro de 2004, um grupo de separatistas chechenos invadiram uma escola em Beslan, Rússia, fazendo 1,1 mil reféns, entre alunos, professores e familiares. No dia, acontecia uma cerimônia de abertura do ano letivo, o que possibilitou ao grupo reter um grande número de pessoas.

Massacre de Beslan

Depois de três dias, forças de segurança interviram, invadindo o local. Como resposta, os terroristas reagiram, matando 334 pessoas, entre elas 186 crianças.

BÔNUS

Tiroteio em Realengo: 12 mortos

Wellington Menezes de Oliveira, de 23 anos, invadiu uma escola municipal na Zona Oeste do Rio de Janeiro, em abril de 2011. Doze crianças morreram e outras 12 ficaram gravemente feridas. Os materiais recolhidos no computador do jovem mostraram que ele era obcecado por atos terroristas. 

Vítimas do tiroteio