Cientistas descobrem caranguejos que podem ter visão ultravioleta

De acordo com as pesquisas, os crustáceos usariam a habilidade para distinguir comida de animais venenosos.
Por Maurício M. Tadra em 12/09/2012

(Fonte da imagem: Reprodução/NY Times)

Um estudo sugere que duas novas espécies de caranguejos, que vivem em regiões abissais, podem ter a capacidade de distinguir algumas cores utilizando fotossensibilidade ultravioleta. A descoberta foi publicada recentemente na revista científica “Journal of Experimental Biology” e o mesmo artigo também aponta que a maioria das criaturas que vivem em grandes profundidades não consegue enxergar nenhuma das cores.

A principal fonte de alimentação dos animais abissais são os plânctons e os corais. No entanto, estes últimos são venenosos para os caranguejos, que precisam necessariamente de uma maneira para poder diferenciar um do outro. Uma das espécies vive a mais de 800 metros de profundidade, onde não há sequer sinais de qualquer tipo de luz.

Então, a habilidade que o crustáceo tem de captar “imagens” no escuro o ajuda a distinguir o que pode ser uma potencial refeição do que é prejudicial para si próprio. Isso é o que permite que os animais consigam sobreviver nas incríveis condições em que eles se encontram.

De acordo com Sonke Johnsen, microbiologista da Duke University (EUA), a descoberta ainda não está totalmente confirmada. O cientista afirma que os indícios são muito fortes e que o próximo passo para provar a hipótese é estudar os animais em laboratório.

Fontes:Biologists.org, NY Times

Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria? Colabore com o autor clicando aqui!

Comentários (0)