Mantis: conheça a lagosta-boxeadora, o bicho mais desgraçado dos mares!

Saiba mais sobre o crustáceo com os olhos mais incríveis e o golpe mais espetacular do oceano.
Fonte da imagem: Planet Animal Zone Mantis: conheça a lagosta-boxeadora, o bicho mais desgraçado dos mares!

Dê uma olhadinha no belíssimo animal acima. Ele tem uma aparência incrível, não é mesmo? Com tantas cores e cheio de estruturas interessantes. O mantis shrimp”, conhecido por vários nomes, como lagosta-boxeadora, tamarutaca e esquila, realmente é fantástico. Tanto que o pessoal do site The Oatmeal criou um infográfico superinformativo especialmente para esse crustáceo.

Para começar, as lagostas-boxeadoras contam com olhos incríveis, que possuem três pontos focais cada e são capazes de enxergar do espectro ultravioleta ao infravermelho. Para que você tenha uma ideia, o olho humano contém milhões de células fotorreceptoras, entre elas os cones, que são as que nos permitem ver as cores.

Explosão de cores

Fonte da imagem: Reprodução/Wired

Nossos olhos possuem três tipos desses receptores — que respondem à luz azul, verde e vermelha —, que nos permitem perceber o espectro de cores que vemos. Os cães contam com apenas dois tipos de cones (verde e azul), e é por isso que eles vêm tons de azul, verde e um pouco de amarelo. Já as borboletas, sortudas, possuem cinco tipos de cones, o que significa que elas conseguem enxergar cores que o nosso cérebro é incapaz de processar.

Contudo, as lagostas-boxeadoras são um crustáceo tão sensacional que elas não possuem dois, três ou cinco tipos de cones apenas. Elas contam com 16! Assim, o arco-íris que elas enxergam deve ser uma verdadeira explosão termonuclear de cores, luz e beleza. Mas, como a grande maioria das criaturas, esses animais também possuem um lado obscuro. No caso das tamarutacas, esse lado é negro e sanguinário.

Pesadelo dos mares

Fonte da imagem: Reprodução/Planet Animal Zone

As lagostas-boxeadoras costumam ser encontradas próximo à costa de mares tropicais e subtropicais e são predadoras letais que se alimentam de caranguejos, camarões, moluscos e peixes. Na verdade, apesar de não serem muito grandes — entre 15 e 30 centímetros —, as tamarutacas são um verdadeiro pesadelo dos oceanos, sendo consideradas como um dos animais mais violentos do planeta.

Elas possuem duas patas superpoderosas na parte dianteira que, quando acionadas, são capazes de proferir um golpe com a mesma aceleração de um disparo de uma arma do calibre 22 e força de impacto de 60 kg/cm3! E isso em menos de 1/3.000 de segundo, o que significa que, se um humano pudesse acelerar os braços com 1/10 desse poder, seria possível lançar uma bola de baseball em órbita ao redor da Terra.

Golpe ninja

Essas patinhas se movem tão depressa que a água próxima a elas chega a ferver — em um fenômeno chamado supercavitação —, além de provocar uma onda de choque capaz de matar a presa mesmo que a lagosta maldita erre o golpe. Assim, com esse movimento ninja, as tamarutacas assassinam outros animais, despedaçando os coitados, mesmo que contem com carapaças protetoras. Veja um ataque a um pobre caranguejo no vídeo a seguir:

Aliás, tipicamente os aquários não mantêm espécimes de mantis entre os seus animais, já que graças aos seus hábitos violentos e sanguinários, eles não curtem dividir o espaço com outros bichinhos, massacrando seus vizinhos. Além disso, devido ao seu golpezinho ninja de nada, a lagosta-boxeadora é capaz de destruir os vidros dos tanques.

Mais curiosidades sobre esse bicho desgraçado:

Fonte da imagem: Reprodução/Planet Animal Zone

  • Seus membros são tão poderosos que os cientistas estão estudando a estrutura de suas células para desenvolver novas armaduras para as tropas de combate;
  • A Força Aérea norte-americana “encomendou” uma pesquisa para o desenvolvimento de aeronaves militares mais resistentes com base no revestimento das patas golpeadoras do mantis;
  • Existem estudos baseados na visão superpoderosa das tamarutacas para melhorar os componentes ópticos — como os dos leitores de CD e DVD, por exemplo — utilizados atualmente.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria? Colabore com o autor clicando aqui!

Comentários (0)