Um estudo bizarro realizado em Copenhague, na Dinamarca, avaliou o comportamento de uma espécie de formiga, a Sericomyrmex, que se aproveita da invasão de outra espécie do inseto para torná-la sua “guardiã”, em um comportamento descrito pelos próprios pesquisadores como mercenário.

Um grupo de formigas hospedeiras da espécie Sericomyrmex que vivia pacificamente em um ninho de fungos foi invadido por formigas maiores e mais perigosas, da espécie Megalomyrmex. No início, várias formigas hospedeiras – principalmente as mais jovens – foram mortas e devoradas pelas invasoras e, até aí, o comportamento é bastante tradicional.

O que surpreendeu os cientistas foi a conduta das duas espécies de formigas algum tempo após a invasão. As hospedeiras passaram a usar as invasoras como seus “soldados”, na defesa contra a invasão de uma terceira espécie, que foi atacada e destruída antes de tomar conta do ninho.

Parceria

Fonte da imagem: Reprodução/Redorbit

As Megalomyrmex, que viraram guardiãs das hospedeiras, conseguem matar outras espécies de formigas graças a um potente veneno – essa toxina é tão forte que permite que elas consigam desestabilizar colônias inteiras de formigas após invadir seu espaço.

Aparentemente, essas formigas supervenenosas se ligam a uma colônia permanente de Sericomyrmex e protegem seus hospedeiros contra demais invasores. Os pesquisadores ainda não sabem a que se deve essa “boa relação”, mas ela é bastante diferente de qualquer outra observada até agora. Confira o vídeo abaixo, que mostra esse esquema de invasão, ataque e proteção, e depois nos conte o que achou dele.

A pesquisa é apenas o início desse tipo de estudo, por isso ainda não se sabe quanto tempo as duas espécies de formigas permanecem juntas nem por que isso acontece justamente com elas.