Já é quase verão no Hemisfério Norte e isso significa que a galera vai começar a frequentar as praias de lá. Isso significa que, daqui alguns meses, alguns canais de TV vão começar a passar os programas dedicados ao tubarões, deixando todos os frequentadores do litoral um pouco... Preocupados. Principalmente quando se trata de tubarões-brancos, tidos como os maiores predadores dos mares.

A questão é que, ao contrário da ficção, que geralmente representa os tubarões-brancos como animais ferozes e mortais – o que, de certa forma, não é bem uma mentira –, mas existem outros fatos muito interessantes sobre ele e você pode conferir alguns abaixo:

10 – Eles são deboístas (ou mais ou menos isso)

"Haaaaahahahaha!"

Tubarões-brancos, ao contrário do que se pensa, preferem evitar conflitos – pelo menos entre eles. Se não existe comida suficiente no ambiente, eles nadam entre o grupo batendo sua cauda com força na superfície da água: quem bater mais forte, fica com o rango – sem tretas, só na base do respeito.

Além disso, eles raramente atacam humanos deliberadamente: o que eles fazem é uma "mordida-teste", que consiste em morder algo para ver se é comida. Se eles perceberem que se trata de algo diferente do que estão habituados a comer, eles simplesmente abandonam, o que explica o motivo de boa parte dos ataques de tubarões não ser fatal.

9 – Sobrevivência do mais forte

Apesar de não se saber muito sobre os hábitos de reprodução dos tubarões-brancos, é sabido que a fêmea desenvolve vários ovos dentro do seu útero, mas apenas alguns deles chegam a transformar-se em pequeninos tubarões, que, por sua vez, se alimentam de outros ovos não fertilizados.

8 – Sempre alerta

Uma curiosidade que não é exclusiva dos tubarões-brancos é o olfato extremamente apurado desses bichos: eles são capazes de sentir o cheiro de uma gota de sangue dissipada em 100 litros de água. Cada fossa nasal detecta esses aromas em tempos diferentes, o que ajuda no senso de direção dos tubarões.

Além disso, os tubarões são capazes de sentir o campo eletromagnético de outros animais. A parte curiosa é que existem fortes indícios de que tubarões sejam daltônicos.

7 – Sozinhos? Sim. Mal organizados? Nunca

É sabido que os grandes tubarões-brancos preferem uma vida mais solitária, mas isso não significa que eles sejam mal organizados: existe uma espécie de hierarquia social, na qual as fêmeas frequentemente são dominantes sobre os machos.

Existem alguns casos de tubarões que mordem outros como demonstração de força, mas o canibalismo em si é extremamente raro.

6 – Em busca do tubarão-branco

Os tubarões-brancos são encontrados geralmente em regiões em que a água salgada é mais quente. Isso significa que Austrália (para variar), África do Sul, Califórnia e noroeste dos Estados Unidos são local onde você poderá encontrar alguns deles.

5 – Quando o predador vira presa

O maior perigo para tubarões-brancos (e outras espécies em geral) é a interação humana, já que as barbatanas e os dentes deles são valiosos para algumas culturas asiáticas. Outro problema gerado pelos humanos e que acaba matando os tubarões são as redes de pesca comercial, que acabam prendendo os imensos bichos "sem querer".

Naturalmente, o único predador natural do tubarão-branco, de certa forma, é a orca, também conhecida como baleia-assassina. Ela vira o tubarão com a barriga para cima, fazendo com que ele fique imóvel e sem poder se defender, finalizando o serviço com fortes pancadas sucessivas.

4 – Alimentação eficiente

Quando um tubarão-branco devora um leão-marinho por inteiro, ele pode passar até três meses sem se alimentar. Diga-se de passagem, eles não mastigam nada do que comem, já que seus dentes são serrados e destroçam suas presas em pequeninos pedaços.

Falando em dentes, os tubarões-brancos chegam a ter 300 dentes em certos momentos, mas perdem 1.000 durante toda sua vida. Quando alguns caem, uma nova "leva" de dentes tomam seus lugares.

3 – Desenhado para caçar

Uma das coisas que fazem dos tubarões-brancos predadores tão bons é o fato de se moverem com agilidade na água. Eles podem pesar entre 680 quilos até pouco mais de 1 tonelada, mas é o formato de seus corpos e sua poderosa cauda, que ajuda a impulsioná-los a até 24 km/h.

Uma curiosidade é que os dentes dos tubarões são os únicos ossos que eles têm no corpo: o esqueleto deles é cartilaginoso, o que ajuda a manter um peso relativamente baixo e também permite que esses animais se movam sem toda a rigidez de uma estrutura óssea – além de serem bem mais resistentes à fratura.

2 – Livres para morder coisas por aí

Não é possível "domesticar" um tubarão-branco: em janeiro deste ano, um aquário japonês tentou manter um exemplar da espécie em cativeiro. O bicho começou a ficar desorientado, dando cabeçadas por aí, e se rejeitou a comer, morrendo apenas três dias depois.

1 – Grande tubarão-branco, mas nem tão grande assim

Tubarão-baleia ao lado de um humano

No filme "Tubarão", o antagonista (chamado de Bruce Jaws) é um tubarão-branco enorme com aproximadamente 8 metros de comprimento. Na verdade, o maior exemplar da espécie registrado tinha "apenas" 6 metros. Independente das medidas, eles ainda são muito menores que a maior espécie registrada: o tubarão-baleia, que pode chegar a 15 metros e pesar impressionantes 21 toneladas!