1. Cometas

O cometa 45P/Honda-Mrkos-Pajdusakova, descoberto em 1948, está novamente visível na Terra desde o final do ano passado. Sua maior aproximação se dará em 11 de fevereiro, quando ele estará a “apenas” 12 milhões de quilômetros de nosso planeta e, com sorte, poderá ser visto a olho nu. Para isso, basta olhar em direção à constelação de Hércules pouco antes do amanhecer.

E até o dia 14 de janeiro, o cometa C/2016 U1 NEOWISE pode ser visto cruzando céu noturno. Você precisa de um binóculo para isso, é claro, já que apesar de atingir um brilho incrível, ainda é muito pouco para o olho humano. O que torna este cometa tão especial é o fato de sua órbita durar milhões de anos e de esta ser, possivelmente, a primeira vez que ele passa pelo Sistema Solar. A distância da Terra é de aproximadamente 140 milhões de quilômetros.

2. Eclipses solares

Em 26 de fevereiro, será possível ver o primeiro eclipse parcial do Sol aqui no Brasil. Ele poderá ser visto em quase todo o país, a partir das 8h57 da manhã. Confira aqui o horário perfeito para a sua cidade.

Já em 21 de agosto, o Grande Eclipse Americano, o primeiro a ser visto com totalidade em algumas regiões dos EUA em mais de 30 anos, também terá reflexos no Brasil. Porém, apenas regiões ao norte de Brasília poderão acompanhar o fenômeno, a partir das 14h55. Manaus e Rio Branco serão as duas melhores capitais para vê-lo – confira aqui os horários em cada cidade.

3. Lançamento de foguete

No primeiro semestre, a SpaceX deverá lançar o foguete Falcon Heavy, o mais poderoso já feito até hoje. Ele terá 27 motores, capazes de levar até 54 mil toneladas ao espaço. Ele é importante já que poderá dar um novo fôlego à possível colonização de Marte no futuro. Esse modelo foi desenvolvido para poder levar seres humanos, mas por enquanto ainda está em fase de testes.

4. Saturno

Durante boa parte de 2017, Saturno terá o brilho mais intenso desde 2002. O hemisfério norte do planeta estará virado para nossa direção, e seus anéis aumentarão a visibilidade aqui na Terra. Algo dessa magnitude deverá acontecer novamente só em 2030, então não dá para perder a oportunidade. O dia 15 de junho será o mais propício para sua visualização: com um telescópio médio será possível ver o planeta, seus anéis e algumas de suas luas.

Além disso, em 17 de setembro, a sonda Cassini deverá colidir com o planeta. Depois de mais de 20 anos, ela deverá concluir sua missão e colher dados inimagináveis sobre o planeta dos anéis mais famosos que existe.

5. Missão lunar chinesa

Entre setembro e dezembro, a China deverá lançar o módulo Chang’e 5, que deverá pousar na Lua e recolher mais de 2 quilos de material para ser analisado aqui na Terra. Caso a missão seja bem sucedida, será a primeira a trazer materia da Lua  em mais de 40 anos! E para o ano que vem, o país já planeja uma missão para descer no lado escuro de nosso satélite natural.

6. Chuva de meteoros

Todo mês de agosto, a chuva de meteoros Perseida é vista na Terra. Entretanto, a deste ano será menos brilhante por conta da fase crescente da Lua, que poderá atrapalhar a nossa visão. Mas não fique triste: a partir de 14 de dezembro, a chuva Geminídias será ainda mais intensa justamente por conta da Lua.