TrES-2b, definitivamente, não é um lugar recomendado para quem tem medo de escuro. Com esse nome que mais parece uma pessoa ou objeto saído diretamente de um filme de ficção científica, ele é o planeta mais escuro já descoberto até hoje, não refletindo quase nenhuma luz a partir de sua própria estrela.

Ele foi recentemente descoberto, em 2011, pelo observatório espacial Kepler. O planeta está localizado fora do Sistema Solar e está a 4,8 milhões de quilômetros de distância da sua estrela. Ele tem mais ou menos o tamanho de Júpiter e é extremamente quente, com cerca de 980ºC (ou 1.800ºF), ou seja, não é exatamente habitável.

Por que tão escuro?

Toda essa profunda escuridão é culpa do albedo. Você deve estar se perguntando: “Albedo? O que é isso?”. Calma, a gente explica. É a quantidade de luz refletida por uma superfície. Leve em consideração que o planeta Terra reflete cerca de 30% e o Sol está perto de 100% — o TrES-2b reflete por volta de 1% a partir da sua própria estrela.

Comparação de tamanho de TrES-2b (cinza) com Júpiter

Por esse motivo, ele é mais negro do que qualquer lugar já descoberto pelo homem e está localizado a 750 anos-luz de distância da Terra. Além disso e do fato de ser uma bola de gás superquente, também é desprovido de ar respirável. Apesar de ter sido descoberto, é praticamente impossível fazermos uma visitinha.

Os cientistas ainda não sabem exatamente o motivo pelo qual isso acontece. Existe a possibilidade de o planeta ser composto por produtos químicos que absorvem luz, como sódio gasoso, potássio ou óxido de titânio, além de o lugar ser tão quente que não permita que as nuvens se formem ou até mesmo de esse fenômeno ser algo tão raro que os pesquisadores ainda não fazem ideia de sua causa.

O Telescópio Espacial James Webb está sendo construído exatamente para que os pesquisadores possam descobrir o que está acontecendo no TrES-2b. Enquanto isso, ficamos no escuro, só na curiosidade!