Minúsculos, mas responsáveis pelo surgimento de muitas doenças e pragas, os mosquitos acabaram sendo odiados por muita gente ao redor do mundo, e frequentemente falamos que eles bem que poderiam não existir, certo? Em contrapartida, há aquela já velha noção de que qualquer espécie, quando em extinção, desequilibraria nosso ecossistema. Afinal, será que o fim dos mosquitos em nosso planeta seria mesmo um problema?

Antes que você fique mal por todo esse ódio no coração, saiba que o sentimento tem motivos bem compreensíveis: mosquitos transmitem malária, doença que atinge 247 milhões de pessoas por ano e mata 1 milhão delas; isso sem contar outras enfermidades como febre amarela e dengue.

Espécies

Fonte da imagem: Pixabay

Só para você ter uma ideia, existem 3.500 espécies de mosquitos nomeadas ao redor do mundo, mas só nos incomodam e transmitem doenças cerca de 200 delas. Não há lugar livre desses insetos, pois muitos são capazes de viver em vários tipos de ambiente, já que estão habituados com a vida na Terra, onde, segundo a pesquisadora Jittawadee Murphy, vivem há mais de 100 milhões de anos.

Não só os mosquitos estão aqui há muito tempo como influenciam, de fato, a vida de muitas outras espécies. Acabar com esses insetos irritantes poderia deixar alguns animais sem alimentos e muitas plantas sem polinizadores. Ainda assim, alguns cientistas acreditam que mosquitos poderiam ser extintos e substituídos por outros organismos nos nichos nos quais fizessem falta.

Extinção

Fonte da imagem: Pixabay

O entomologista Carlos Brisola Marcondes, da Universidade Federal de Santa Catarina, disse, em declaração publicada no portal Nature, que um mundo sem mosquito seria mais seguro a nós, humanos.

Ainda assim, a falta deles acabaria por afetar espécies que, seguindo alguns poucos raciocínios bem lógicos, fariam nossa rotina ficar um pouco diferente, a começar pelo crescimento de algumas plantas. Se você acha que não faz sentido a relação entre esse tipo de inseto e a vida das plantas, talvez você se surpreenda, mas algumas espécies de mosquito vivem em bolsões de água em diferentes biomas ao redor do mundo, em companhia de micro-organismos como rotíferos, bactérias e protozoários.

A presença de mosquitos nesses ambientes garante a produção de nutrientes como nitrogênio, fundamental às plantas que abrigam esses insetos e os outros micro-organismos já citados. Trata-se, realmente, de um ciclo de cooperação entre os envolvidos. Nesse caso, a extinção de mosquitos prejudicaria – e muito – o desenvolvimento de alguns vegetais.

Cacau

Fonte da imagem: Reprodução/GourmetSaúde

Estudos já chegaram a descobrir que a presença de mosquitos em ambientes com protozoários permite que o número desse tipo de micro-organismo se mantenha equilibrado, fazendo com que outras espécies possam coexistir.

O mosquito conhecido como “do mangue” ou “mosca preta” é campeão em reclamações e você provavelmente iria querer que ele sumisse da sua vida, certo? Pois saiba que, sem ele, um fruto muito bem quisto por todos nós, o cacau, estaria sem o seu polinizador. Ou seja, sem mosquitos no mundo é bem provável que não houvesse cacau também e, por consequência, você não poderia comer aquele chocolatezinho depois do almoço.

Parece mesmo que esses pequenos insetos, muitas vezes odiados, fazem a diferença em nosso ecossistema. E aí, você ainda gostaria que eles fossem eliminados?

*Publicado em 28/05/2013

***

O Mega está concorrendo ao Prêmio Influenciadores Digitais, e você pode nos ajudar a sermos bicampeões! Clique aqui e descubra como. Aproveite para nos seguir no Instagram e se inscreva em nosso canal no YouTube.