7 criações científicas bizarras

Algumas já têm seus propósitos bem definidos enquanto outras ainda parecem ser experiências sinistras de ficção científica.
Por em
Fonte da imagem: Reprodução/Cracked 7 criações científicas bizarras

Cientistas ao redor do mundo nos provam, frequentemente, que quase tudo é possível. O siteCrackedselecionou algumas invenções diferentes e pouco conhecidas. Você já tinha ouvido falar de alguma delas?

1 – Fluido de ferro

Cientistas transformaram ferro em líquido. Ok, essa não é uma supernovidade. Mas esse ferro reage com campos magnéticos e produz o efeito que pode ser visto no vídeo abaixo. Satanás, é você?

Mas para que serve esse fluido de ferro, afinal? Saiba que essa substância curiosa é usada pela NASA no auxílio de projetos de voo de alta tecnologia. O fluido pode, também, proteger discos rígidos e garantir condução de calor em alto-falantes, além, é claro, de ser incrivelmente divertido.

2 – Aerogel

Pense em uma substância feita 99% de ar, capaz de suportar até 4 mil vezes o seu peso, além de ser à prova de fogo. O aerogel é uma das substâncias mais leves e mais resistentes ao mesmo tempo. Ele aparenta ter características isolantes e a NASA já o usa no espaço, como uma espécie de peneira que captura poeira cósmica.

Outros cientistas acreditam que uma versão transparente do aerogel possa ser criada para isolar janelas e portas de vidro. Se você está se perguntando qual é a cor desse material, fique ligado no vídeo a seguir e se surpreenda:

3 – Condutores elásticos

Você está lendo esta matéria através de um computador, provavelmente. Agora imagine se a tela ou o monitor diante de você fosse fino como uma folha de papel! Ficção científica? Não. Estamos falando de uma possibilidade futura que se aproxima à medida que os estudos com essas substâncias, conhecidas como condutores elásticos, avançam.

Fonte da imagem: Reprodução/Cracked

Cientistas já descobriram um meio de aliviar nossa vida e isso inclui o sentido literal, se você pensar em como os computadores e laptops são pesados. Os estudos são baseados em pesquisas com nanotubos de carbono. A expectativa é a de que esse material sirva também para outros produtos, como celulares e câmeras.

4 – Baterias virais

Fonte da imagem: Reprodução/DiáriodaSaúde

Quê? Pelo jeito podem existir baterias virais. Isso tudo é possível graças à ciência conhecida como engenharia genética. Você já tinha ouvido falar? Ela existe, sim, graças à nanotecnologia que, para quem não sabe, é o que permite alterar a estrutura da matéria em escala atômica e molecular. As duas, engenharia genética e nanotecnologia, são melhores amigas.

Cientistas publicaram recentemente um estudo cujo título parece ter saído de um filme de ficção científica. Intitulado “Engenharia genética de alta potência na fabricação de baterias de lítio usando genes de vírus”, o resultado de grandes pesquisas científicas nos mostra que é possível usar a nosso favor aquilo que até pouco tempo nos trazia apenas dor de cabeça.

Aos conhecedores dos feitos científicos, os pesquisadores afirmam que não é possível usar nanotubos de carbono na experiência, já que eles não conduzem eletricidade, ao contrário dos vírus.

5 – O elemento mais pesado do mundo

Fonte da imagem: Reprodução/Cracked

Sabemos que cada átomo é definido conforme seu número atômico. A tabela periódica estampa os elementos mais estudados e, depois de ter passado pelo Ensino Médio, qualquer um é capaz de entendê-la ou, pelo menos, saber que se trata de elementos químicos e não de um alfabeto maia.

Mas você sabia que há um elemento pesado, super-radioativo, que apenas existem por frações de segundos? Ele não chega nem a ser uma ameaça. A substância é produzida em laboratório e se chama Ununóctio.

Esse cara tem número atômico 118 (118 prótons e 118 elétrons), sendo que números acima de 93 já são considerados perigosos com relação à radioatividade. O símbolo químico provisório para ele é o Uuo.

6 – Líquido não newtoniano      

Antes que você argumente que a palavra acima nem existe, calma. Qual é a história de Isaac Newton, aquele carinha da maçã? Conforme o que você aprendeu no cursinho, existe a lei da gravidade, que explica, basicamente, que todos os corpos são atraídos para o centro da Terra e é por isso que não existe gente por aí flutuando.

Aí você quer saber agora qual é a desse líquido que parece ter alguma propriedade contrária aos estudos de Newton. Bom, o nome não newtoniano foi dado a um líquido que praticamente deixa de ser líquido quando é tocado ou, como mostra o vídeo abaixo, pisado. Faz sentido?

Sua utilidade ainda está no limbo, mas integrantes das Forças Armadas parecem ter encontrado nessa substância uma boa fonte de fabricação de armaduras.

7 – Líquido respirável

Fonte da imagem: Reprodução/Cracked

Você pode achar que é uma brincadeira, mas não é. O perfluorocarbono é um líquido que contém muito oxigênio, tornando sua inalação possível e livre de afogamentos. Os testes com essa substância começaram há muito tempo, nos anos 60.

O perfluorocarbono pode ser usado em ultrassom e na produção de sangue artificial. O lado ruim dessa substância é o seu alto nível de poluição.

Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria? Colabore com o autor clicando aqui!

Comentários (0)