Pode não parecer, mas as nossas unhas têm muitas funções importantes a desempenhar: elas protegem tecidos, são imprescindíveis para coçar e também agem como janelas para o nosso bem-estar geral. Esclarecendo o último fator, de fato, as unhas também podem nos dizer muito sobre a nossa saúde, mostrando sinais de desnutrição, infecções e até doenças graves.

As unhas são camadas de queratina e compostas de várias partes. A lâmina ungueal é a parte dura, de proteção, e a mais visível. Ela se origina no leito ungueal, que fica embaixo da unha, e na matriz, que é o tecido conjuntivo de onde a porção de queratina nasce. Esse local é cheio de terminações nervosas.

Além disso, ainda temos a paroníquia, que é a dobra de pele que fica nas laterais da unha. Aquela “lua crescente” branquinha que se vê na base das unhas, sob a placa ungueal, é chamada de lúnula, e o tecido sobreposto à unha na sua base é a cutícula. As unhas das mãos crescem de 2 a 3 milímetros por mês e as dos pés cerca de 1 milímetro. Uma curiosidade é que o crescimento é mais rápido nos meses de verão e em sua mão dominante.

Aparadinha ou mais longa, pintada ou não, uma coisa é certa: unhas saudáveis significam saúde para você. Confira logo abaixo algumas condições e doenças que podem ser “denunciadas” pela aparência das unhas:

1 – Distúrbios de tireoide

Nails Magazine

Os distúrbios da tireoide (como hipertireoidismo e hipotireoidismo) são frequentemente associados com a perda ou ganho de peso, respectivamente. No entanto, os médicos também relacionam alterações das unhas com doenças da tireoide.

A presença da onicólise ocorre frequentemente com hipertireoidismo. Também conhecida como unha de Plummer, esta condição ocorre quando as unhas se separam do leito ungueal, podendo ou não ficarem mais levantadas. Esta elevação pode ocorrer na ponta da unha ou em toda a sua extensão.

Como a sujeira e a umidade podem facilmente entrar sob as unhas levantadas, a condição da unha de Plummer pode facilmente levar a infecções bacterianas e fúngicas. No caso de unhas em formato muito arredondado e côncavo, que também parecem estar um pouco deslocadas do leito, isso pode ser um sintoma de hipotireoidismo.

Portanto, é importante consultar um médico o mais rapidamente possível se você notar qualquer característica como essas.

2 – Problemas cardiovasculares

Dermline

Os indicadores comuns de risco para problemas cardiovasculares são, geralmente, pressão arterial elevada e colesterol alto. Mas e as condições de suas unhas, será que ajudam a denunciar algum risco? Sim, há uma série de alterações das unhas que podem indicar doenças cardiovasculares.

As chamadas hemorragias por estilhaço se apresentam como linhas de sangue finas e vermelhas, que ocorrem sob as unhas (imagem acima). Essa condição pode ser um sinal de endocardite, uma infecção da válvula cardíaca, ou vasculite, danos nos vasos sanguíneos. Essas hemorragias podem ser causadas por minúsculos coágulos que danificam os pequenos capilares sob as unhas.

Wikipedia

Além disso, anomalias congênitas do coração podem levar uma deformidade que deixa as pontas dos dedos e as unhas bem arredondadas, como na imagem acima. Nessa condição, o leito ungueal geralmente se torna mais largo e mais redondo do que o normal. Outros sinais que podem indicar problemas cardiovasculares são unhas em forma de “colher”, unhas pálidas ou azuladas.  

3 – Ansiedade e stress

Shutterstock

Roer as unhas é um hábito que denota nervosismo ou stress, mas as pessoas também podem fazer isso quando estão entediadas. No entanto, é um hábito que deve ser controlado, pois pode levar a infecções recorrentes.

No caso dos homens, mantê-las sempre bem aparadinhas pode diminuir o problema. Para as mulheres, mantê-las pintadas com esmalte ou uma base também ajuda. Mas, se o problema de roer as unhas persistir, é bom consultar um médico para verificar a raiz psicológica.

Em alguns casos, roer unhas pode ser classificado como um transtorno de controle de impulso. Essa condição, que pode indicar um transtorno de ansiedade ou compulsivo, pode exigir terapia comportamental. Se roer as unhas for acompanhado por arrancar fios de cabelo ou por comportamentos de automutilação, é importante procurar ajuda de um profissional de medicina.

4 – Diabetes

Medscape

Se você costuma pintar as unhas, você vai notar que elas tendem a ter uma tonalidade amarelada depois de ter removido o esmalte. No entanto, se as unhas permanecem amarelas por muitos dias, a coloração pode ter uma causa mais séria: diabetes.

A diabetes pode levar ao amarelamento da pele e das unhas, mas geralmente é mais evidente nas unhas. A mudança de cor é provavelmente causada pela glucose se ligando com as proteínas de colágeno na unha. Se suas unhas amarelas não estão voltando para um tom normal, e se você também está experimentando outros sintomas como o aumento da sede e da urina, você deve consultar o seu médico imediatamente.

5 – Problemas pulmonares

Em algumas fases da moda mundial, como a atual, muitas mulheres adotaram esmaltes de diversos tons de azul para colorir as unhas. No entanto, quando a unha está azulada e não há esmalte nenhum nela, a coisa pode ser séria de verdade.

Unhas azuis (especialmente quando combinadas com lábios azuis) podem significar que você tem um problema de saúde relacionado com o oxigênio, como: hemoglobina baixa, asma,  doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), bronquite ou pneumonia.   

Além dos problemas pulmonares, unhas azuis também podem indicar certas condições cardíacas. Se suas unhas se tornaram azuis, independentemente da condição, normalmente é um sinal de que a sua doença se tornou grave. Pode ser necessária a atenção médica de emergência.

6 –Artrite reumatoide

Em geral, a artrite é considerada como um transtorno doloroso, que afeta os idosos, sendo mais comum a osteoartrite. No entanto, há na verdade mais de 100 doenças que se qualificam como tipos de artrite, e as seguintes condições podem levar a alterações nas unhas:

  • Osteoartrose: unhas fracas causadas por deficiência de selênio são frequentemente observadas em pessoas com esta forma de artrite;.
  • Psoríase: unhas amarelas, onduladas e hemorragia em estilhaço podem ser sinais de artrite psoriática;
  • Lúpus: dobra inflada é um sintoma quando a pele incha em torno da base da unha. Ele é visto frequentemente em doenças do tecido conjuntivo, como o lúpus;.
  • Artrite reumatoide: a lúnula vermelha que aparece em pessoas com artrite reumatoide ocorre muitas vezes devido aos tratamentos com prednisona para a doença;
  • A doença de Kawasaki: este distúrbio pode levar a onicomadese, a perda das unhas.

7 – Deficiências nutricionais

Você é o que você come: a saúde no interior vai refletir a beleza do lado de fora. Escolhas nutricionais saudáveis incluem alimentos ricos em ácidos graxos ômega-3, proteínas magras e ferro para ajudar a ter cabelos, pele e unhas saudáveis.

As unhas podem refletir algumas deficiências nutricionais, como os baixos níveis de ferro, biotina e proteína. A maioria dos problemas de unhas não está relacionada com a sua alimentação, mas, se você tem uma deficiência de ferro, as unhas podem denunciá-la. Por exemplo, se as unhas estão esbranquiçadas, pode ser um sinal comum de anemia.

8 – Infecções

Pele dolorosa, vermelha e coceira em torno de suas unhas são grandes indícios de que algo não está certo. Assim como em outras partes do corpo, as unhas das mãos e pés são propensas a infecções, ocorrendo geralmente em adultos e causadas por fungos, bactérias e verrugas virais.

As infecções das unhas não indicam necessariamente problemas grave de saúde, mas eles precisam ser tratados por um médico, especialmente se você tiver uma condição que enfraquece o sistema imunológico.

Os fungos são os agressores mais comuns e são difíceis de tratar, exigindo, geralmente, tratamentos em longo prazo com medicamentos específicos. O tempo estendido para cuidar dessas condições se dá, pois, em muitos casos, só se obtêm a cura total após as unhas passarem por um ciclo completo de crescimento.

Bactérias e vírus também causar alterações um tanto desagradáveis para unhas. As infecções bacterianas podem provocar a perda da unha se não tratadas, enquanto aquelas por vírus podem causar verrugas ao redor ou mesmo sob as unhas, que o médico pode cauterizar e receitar medicamentos para o problema não voltar.  

Muitas dessas infecções podem ser evitadas com higiene adequada, utilização de materiais descartáveis ou esterilizados de manicure, não compartilhamento de itens pessoais como tesourinhas ou cortador de unha, além de outros cuidados.