Por que as nuvens das tempestades são escuras?

Saiba por que o céu fica cheio de nuvens pretas quando aquela baita chuva está para chegar
Por em
Fonte da imagem: Shutterstock Por que as nuvens das tempestades são escuras?

Raios e trovões à vista. O céu ficou preto de tantas nuvens escuras e lá vem tempestade. É de conhecimento de todos que as nuvens comuns são brancas, enquanto aquelas de fortes tempestades têm um tom bem mais escuro de cinza. Mas por que essas nuvens de chuva são assim quase negras?

Primeiramente, é preciso compreender como as nuvens se formam. O ar em torno de nós está cheio de água na sua forma gasosa, o vapor. Quando o ar próximo ao solo se aquece, ele começa a subir, levando o vapor de água junto com ele. Em seguida, o ar começa a esfriar a medida que sobe mais alto no céu, fazendo com que o vapor de água se condense.

As gotas de água resultante e os cristais de gelo se fundem para formar as nuvens. Ao contrário de partículas atmosféricas que espalham mais luz azulada do que de outras cores (tornando o nosso céu azul), as pequenas partículas de nuvem dispersam igualmente todas as cores de luz, que juntas formam a branca.

Fonte da imagem: Shutterstock

Uma questão de luz

Mas, então, como ela fica quase preta? As nuvens de chuva se tornam acinzentadas por causa de sua espessura ou altura. Ou seja, uma nuvem se torna mais espessa e mais densa, pois está mais saturada de gotículas de água e cristais de gelo. Dessa forma, quanto mais espessa ela fica, mais ela espalha a luz, resultando em menos iluminação penetrando através dela.

Com isso, as partículas na parte de baixo da nuvem de chuva não têm muita luz para dispersar do seu ponto de vista, então a base parece cinza quando você olha da superfície da Terra. Este efeito torna-se ainda mais pronunciado quanto maior as gotículas de água são, porque elas se tornam mais eficientes na absorção de luz, em vez de espalhá-la. 

Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria? Colabore com o autor clicando aqui!

Comentários (0)