De acordo com o Discovery News, caso os cálculos sobre o Bóson de Higgs — descoberto no ano passado — estejam corretos, dentro de alguns bilhões de anos o Universo desaparecerá com a velocidade da luz. E os cientistas acreditam que ele não só vai ser destruído, juntamente com tudo o que existe, como também que será substituído por uma dimensão alternativa bem sem graça.

As análises para que os físicos tenham absoluta certeza de que a partícula detectada realmente seja o Bóson de Higgs continuam, e até o momento não foram encontrados indícios que contradigam a descoberta. Mesmo assim, os cientistas precisam se certificar de que a partícula sem carga, sem spin e com uma massa de 126 bilhões de elétron-volts não é uma impostora, e sim a partícula elementar que serviria para explicar a origem da massa de todas as demais partículas elementares.

Futuro crítico

Fonte da imagem: Reprodução/Discovery News

Entretanto, segundo os físicos o número “126 bilhões de elétron-volts” é uma cifra bastante crítica quando se trata do futuro do Universo. Aparentemente, se empregarmos toda a física conhecida até agora e fizermos alguns cálculos — bem, nós não, mas os físicos teóricos maluquinhos! —, o resultado indica que o Universo é, na verdade, instável e que, dentro de alguns bilhões de anos, ele deverá desaparecer.

Esse evento estaria relacionado com o campo energético do Bóson de Higgs, o qual os físicos acreditam estar presente em todo o Universo. Para realizar o cálculo, é necessário saber a massa do Bóson na proporção de 1%, assim como a massa exata de outras partículas subatômicas.

Universo alternativo

Fonte da imagem: shutterstock

De acordo com os físicos, basicamente o Universo um dia pode vir a mudar de estado, e quando isso ocorrer, um universo alternativo surgirá na forma de uma pequena bolha que, então, se expandirá destruindo tudo o que existe.

Tudo pode não passar de uma assustadora coincidência cósmica, mas, caso os cálculos estejam corretos, não há nada que possamos fazer para parar o processo. Além disso, não adianta se preocupar muito também. Caso o tal do fim do Universo realmente ocorra, nenhuma forma de vida sequer verá o apocalipse chegando.