(Fonte da imagem: Reprodução/CERN)

De acordo com o pessoal do site DVICE, a CERN — Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear — deve anunciar nesta quarta-feira, com 99,99% de certeza, que foram encontradas evidências sobre a existência do Bóson de Higgs.

A teoria sobre a existência do Bóson de Higgs — partícula elementar que surgiu logo após o Big Bang e que teria dado origem a toda a matéria existente no universo — apareceu ainda na década de 60, mas os cientistas não haviam conseguido provar a sua existência com nenhum tipo de experimento. Até agora, aparentemente.

Modelo-padrão da física de partículas

Todas as partículas fundamentais que constituem a matéria, assim como suas forças, foram descritas pelo modelo-padrão. Assim, é através dele que os físicos conseguem desenvolver os equipamentos necessários para comprovar a existência dessas partículas teóricas.

Até o momento, a existência de todas elas — de quarks a neutrinos — já foi detectada experimentalmente, confirmando que o modelo-padrão estava correto. A última delas seria o Bóson de Higgs, que demorou tanto tempo para ser detectado devido à energia necessária para reproduzir um em laboratório.

(Fonte da imagem: Reprodução/CERN)

O modelo-padrão explica quase tudo

O modelo-padrão também serve para predizer como essas partículas devem se comportar. Contudo, é somente através dos experimentos que os físicos podem comprovar se o modelo realmente tem razão.

E, embora esteja absolutamente correto sobre a existência de muitas coisas, existem algumas questões superimportantes que não puderam ser explicadas ainda. Entre algumas delas estão a força da gravidade, o tempo, a matéria escura e a antimatéria.

Portanto, caso realmente seja confirmada a existência do Bóson de Higgs amanhã, os físicos poderão se preocupar em conseguir explicar algumas das questões que mencionamos acima. Por outro lado, caso a sua existência não seja confirmada, isso significaria uma falha na base da física-padrão, e quem sabe os cientistas não tenham que partir para uma nova e revolucionária teoria?

Fontes: DVICE e CERN