1 – Embora filmes e seriados inspirados na Segunda Guerra Mundial passem a impressão de que as tropas norte-americanas estavam repletas de soldados que se voluntariaram bravamente para lutar no conflito, a verdade é que dois terços dos homens enviados à Europa foram recrutados pelo Exército para ir à guerra.

2 – Ainda sobre os americanos, a ideia de que a participação deles na guerra salvou os aliados da derrota é equivocada. Na verdade, foi a União Soviética, mais do que qualquer outra nação, a responsável por derrotar os nazistas. Para você ter uma ideia, a taxa de perdas militares na Frente Oriental em comparação com a Ocidental foi de nove para um, com mais de 80% das baixas alemãs acontecendo no leste da Europa.

3 – Os norte-americanos também não foram os responsáveis por liderar as operações militares do Dia D. Apesar de a invasão estar sob o comando geral do norte-americano Dwight Eisenhower, seus arquitetos, comandantes da marinha, aeronáutica e exército eram todos britânicos.

4 – Além disso, os navios de guerra e veículos de terra ingleses no Dia D superaram os norte-americanos em uma razão superior a quatro para um, e dois terços das aeronaves utilizadas nas invasões eram britânicas. Ademais, um terço dos suprimentos utilizados pelos soldados dos EUA foi fornecido pelos ingleses.

5 – Apesar de quase sempre pensarmos unicamente nos aproximadamente 6 milhões de judeus que morreram das mãos dos nazistas durante o Holocausto, eles estão longe de ter sido as únicas vítimas desse massacre lamentável. Além deles, cerca de 5 milhões de pessoas de outros grupos, entre eles, ciganos, sérvios, comunistas, homossexuais, deficientes, intelectuais poloneses e outros tantos, perderam suas vidas nos campos de extermínio.

6 – Aliás, ainda sobre a espantosa quantidade de judeus mortos durante o conflito (cerca de 6 milhões, como mencionamos acima), eles não foram os mais numerosos. As estimativas atuais apontam que 13 milhões de civis soviéticos e por volta de 14 milhões de chineses — vítimas dos japoneses — perderam suas vidas durante a Segunda Guerra Mundial.

7 – Ao contrário do que muita gente pensa, os nazistas não foram os únicos vilões da Segunda Guerra Mundial. Os japoneses, por exemplo, submeteram perto de 250 mil civis a experimentos médicos aterradores, executaram 100 mil pessoas em Manila de uma só vez e torturaram milhares de soldados norte-americanos. Além disso, apesar de ninguém falar muito sobre o assunto, os soldados aliados cometeram terríveis crimes de guerra.

8 – Um levantamento recente apontou que soldados norte-americanos — tidos como mocinhos dessa história — teriam abusado sexualmente de aproximadamente 14 mil mulheres na Alemanha, na Inglaterra e na França, assim como de 10 mil no Japão. Além disso, de todos os corpos de vítimas japonesas encontrados nas Ilhas Marianas, 60% deles estavam sem as cabeças basicamente porque os soldados dos EUA resolveram fazer coleções de crânios.

9 – Embora as bombas de Hiroshima e Nagasaki tenham provocado um número imenso de mortes — estimado em 80 mil e 70 mil, respectivamente —, os bombardeios com o maior número de vítimas aconteceu em Tóquio. Entre os dias 9 e 10 de março de 1945, os norte-americanos liberaram 1.665 toneladas de bombas sobre a cidade, deixando pelo menos 100 mil mortos e cerca de 1 milhão de feridos e desabrigados.

10 – Embora os livros de História afirmem que a Segunda Guerra Mundial começou oficialmente no dia 1º de setembro de 1939, data em que a Alemanha invadiu a Polônia, essa informação é motivo de debate. Muitos historiadores defendem que o conflito eclodiu em maio de 1939, quando soviéticos e japoneses começaram a lutar pela Mongólia, e há quem alegue que a origem se deu juntamente com o início da Segunda Guerra Sino-Japonesa, em 1937.

Há também os que acreditam que o ponto de partida para a Segunda Guerra Mundial foi a invasão italiana da Abissínia (antigo Império da Etiópia), em 1935 ou, ainda, a invasão japonesa da Manchúria, em 1931. Vale destacar que, como quase sempre são os “vencedores” quem escrevem a respeito do conflito, as potências que saíram vitoriosas determinaram que o início da guerra se deu quando elas se envolveram no conflito.

* Os mitos acima foram extraídos de um interessante artigo de John Kuroski, do portal All That Is Interesting, que você pode conferir através deste link.