Stonehenge, o impressionante círculo de pedras que você pode de ver na imagem acima, é, sem dúvida, um dos monumentos pré-históricos mais famosos do mundo. O complexo se encontra no condado de Wiltshire, localizado no sudeste da Inglaterra e, apesar de ter sido construído há cerca de 5 mil anos, durante o Neolítico, até hoje a estrutura desperta a curiosidade e o fascínio de todos.

Isso porque, embora já se saiba algumas coisas a respeito de Stonehenge, a forma como o local foi construído, quem foram seus arquitetos e qual era a sua real finalidade continuam sendo apenas especulações. Você gostaria de saber mais sobre esse intrigante monumento? Então, confira a seguir uma série de fatos, mitos e curiosidades — selecionados a partir de um artigo de Michael Arbeiter, do portal Mental_Floss — que você talvez desconheça:

1 – Sua construção demorou mais de mil anos

Apesar de ninguém saber com certeza quem construiu Stonehenge, nem como ou qual era a sua real utilidade, uma coisa que os cientistas conseguiram estabelecer — mais ou menos — é a época em que o complexo foi erigido.

Estudos apontaram que a vala que circunda o monumento foi criada por volta de 3 mil a.C., enquanto as pedras que formam o complexo começaram a chegar ao local cerca de 500 anos depois. Além disso, a organização e a colocação dos blocos, bem como a realização de escavações adicionais, continuaram acontecendo até, aproximadamente, 1,5 mil a.C., o que significa que Stonehenge levou 1,5 mil anos para ficar pronto.

2 – Algumas das pedras provavelmente vieram de longe

Não pense você que a falta de grandes caminhões de transporte no Neolítico intimidou os construtores do monumento! Análises feitas com as pedras maiores — que pesam entre 25 e 30 toneladas — indicam que elas possivelmente vieram de um local conhecido como Marlborough Downs, que fica a 32 quilômetros de Stonehenge.

No entanto, estudos geológicos sugerem que as pedras menores, que pesam até 4 toneladas cada, podem ter vindo das Montanhas Preseli, localizadas em Gales, a cerca de 250 quilômetros de distância. E a forma como elas foram transportadas — por meio de embarcações, puxadas por animais, pelo movimento de glaciares? — é um dos maiores mistérios envolvendo o monumento.

3 – O complexo serviu de cemitério

Conforme mencionamos anteriormente, ninguém sabe ao certo para qual finalidade Stonehenge era utilizado. Contudo, de acordo com algumas pesquisas, o complexo — que no passado formava um círculo completo — serviu de cemitério, pelo menos durante o período que antecedeu a adição das pedras maiores ao monumento. Isso porque, no local, foram descobertas 56 covas contendo os corpos cremados de ao menos 64 pessoas que viveram durante o Neolítico.

Aliás, ao longo da História, apenas corpos cremados foram descobertos em Stonehenge. Isso até que, em 1923, um grupo de arqueólogos encontrou os restos mortais de um homem do século 7. Análises realizadas no ano 2000 apontaram que o indivíduo era de origem anglo-saxã e foi decapitado — provavelmente durante uma execução. No entanto, o local do enterro sugere que o homem era de origem nobre, quem sabe até um membro da realeza.

4 – A primeira menção a ele é da Idade Média

Embora Stonehenge exista há pelo menos 5 mil anos, o primeiro registro histórico de que se tem notícia sobre o monumento é do século 12. A menção foi feita por Henry de Huntingdon, um clérigo e historiador britânico que, em 1130, escreveu a respeito de “Stanenges”, um local onde existiam pedras de tamanhos fabulosos que haviam sido erigidas na forma de portas, embora ninguém conseguisse imaginar como isso havia sido feito, nem para qual propósito.

E já que estamos no assunto da Idade Média, durante esse período, outro clérigo inglês — um homem chamado Geoffrey de Monmouth — propôs uma teoria que se tornou bem popular entre os britânicos sobre a construção de Stonehenge. Geoffrey foi um dos principais autores das lendas sobre o Rei Arthur, e foi graças a ele que, durante vários séculos, a criação do complexo foi atribuída a ninguém menos do que o Mago Merlin!

5 – Sua criação chegou a ser atribuída a Satanás

Você achou graça de os britânicos da Idade Média acreditarem que Stonehenge tinha sido construído pelo Mago Merlin? Pois outro mito bastante popular atribuía a sua criação ao capiroto! Na falta de uma explicação aceitável sobre como as pedras puderam ser transportadas de Gales até o local do monumento, surgiu a lenda de que elas, na verdade, haviam pertencido a uma senhora irlandesa.

Só que o diabo decidiu que queria as pedras, então adotou a forma de um homem comum e tentou convencer a idosa — que se recusou a se desfazer delas. Por isso, o danado propôs um trato: mostrou à senhora uma bolsa cheia de moedas de ouro e disse que ela poderia ficar com todas que ela conseguisse contar enquanto ele levava as pedras. Pensando que um homem jamais poderia fazer isso depressa, a mulher topou. Tola...

É claro que o capeta levou tudo em um piscar de olhos, e a idosa não teve tempo de contar nenhuma moeda sequer. E, uma vez na Inglaterra, o maligno ficou se exibindo sobre as pedras — até entrar em conflito com um frade chamado John Aubrey. Assim, durante uma briga, o diabo jogou uma das pedras contra o religioso, acertando seu calcanhar.

Essa é a tal pedra que o diabo teria atirado no frade!

Mas o frade era tão forte que, além de escapar ileso do ataque, ainda deixou a marca do seu pé no pedregulho — que se encontra nas imediações do monumento e, curiosamente, conta com um entalhe que se parece uma pegada. Você achou a lenda do diabo fantástica demais? Tem outra ainda pior, sobre vários gigantes que estavam dançando em forma de ciranda e, de repente, congelaram e se transformaram em pedra!

6 – Charles Darwin fez pesquisas em Stonehenge

Durante os últimos anos de sua vida, Charles Darwin voltou sua atenção para Stonehenge. Mais precisamente, o naturalista dedicou um capítulo inteiro de um estudo que fez sobre minhocas aos animais endêmicos da região onde o monumento se encontra.

O trabalho de Darwin sobre as minhocas foi publicado em 1881 e, nele, ele propõe que esses animais têm um importante papel na natureza — e que eles são responsáveis por fazer com que as enormes pedras do complexo se afundem cada vez mais no solo.

7 – Várias teorias malucas foram elaboradas para explicar seu propósito

Existem várias teorias sobre o possível propósito da construção de Stonehenge, como a de que o monumento serviu como um templo druida, como uma espécie de calendário astronômico para prever eventos solares e eclipses, e até como local de coroação para os reis dinamarqueses.

No entanto, também existe a teoria de que Stonehenge funcionava como um observatório para as atividades extraterrestres no céu, a de que o complexo seria um modelo do Sistema Solar construído por antigos visitantes alienígenas e, ainda, a teoria de que o círculo de pedras servia de local de pouso para discos voadores.

*Publicado em 9/10/15

***

Você sabia que o Mega Curioso também está no Instagram? Clique aqui para nos seguir e ficar por dentro de curiosidades exclusivas!