Como surgiu o número zero?

Hindus, babilônios, gregos e árabes estão entre os povos conhecidos historicamente por inserir os conceitos de zero na Matemática.
Por Daiana Geremias em 01/04/2013
Fonte da imagem: Shutterstock Como surgiu o número zero?

Ao contrário do que muita gente acredita, a Matemática é, sim, importante. Talvez você não use logaritmos com frequência, mas tudo à nossa volta está, direta ou indiretamente, ligado aos números. O que muita gente acaba não se perguntando é como surgiram essas medidas tão universais e exatas. O número zero, por exemplo, veio de onde? Será que foi simples definir uma medida que representa o nada?

Não foi simples, não, principalmente se pensarmos que os estudos matemáticos se iniciaram há milênios, quando estudar era tarefa engenhosa e poucas pessoas conseguiam seguir determinadas linhas de raciocínio. A História não tem exatamente como explicar da onde veio a definição do número zero, mas acredita-se que ela pode ter surgido nos povos mesopotâmicos, árabes, hindus ou chineses.

Zero à esquerda

Fonte da imagem: Pixabay

A História já sabe que os hindus criaram o sistema de numeração posicional, utilizado até hoje por meio daquele instrumento simples chamado ábaco. Para representar um número no ábaco, os hindus conferiam as centenas e dezenas de determinado valor, colocando os dados em cada coluna correspondente. O problema era quando se precisava representar o número 308, por exemplo. Nesse caso, a unidade do meio ficava vazia.

Foi então que aquele povo resolveu criar um símbolo para representar esse vácuo. O símbolo ganhou o nome de Sunya, que significa vazio. Na hora de representar os números no esquema do ábaco, eles acrescentavam o símbolo do vazio, para indicar que não havia numeração ideal naquele determinado caso.

Árabes

Fonte da imagem: Reprodução/Quo.es

Espelhando-se no sistema de contagem dos hindus, os povos árabes logo tiveram que criar um símbolo para representar aquele numerosinho complicado. O zero era conhecido, então, como sifr. Essa palavra passou por algumas variações, inclusive já dentro do latim, e é a origem dos termos “cifra” e “zero”, usados atualmente.

Babilônia

Fonte da imagem: Reprodução/Quo.es

Os manuscritos babilônios também contam muito a respeito da história do número zero. Aquele povo criou um sistema numérico usado até os dias de hoje e que ajudou a fundamentar, por exemplo, nossas medidas de horas, minutos e segundos, já que os babilônios usavam como base de cálculo e comparação o número 60.

No sistema babilônio sexagesimal, a base de cálculos vai do zero aos 60, como o próprio nome sugere. Mas como é que aquela galera representava esse número zero? A resposta é bastante curiosa: não representava. Isso mesmo! Eles deixavam um espaço incompleto quando o número em questão era o zero.

Algum tempo depois

Fonte da imagem: Reprodução/Física

Os gregos se baseavam nos estudos babilônios para desenvolver seus mapas astronômicos, e então a inclusão do número zero, como é conhecido até hoje, começa a ser vista em algumas tabelas de Ptolomeu. Detalhe: isso tudo só no primeiro século depois de Cristo.

Já o zero como valor relativo foi adotado mesmo pelos maias, nas Américas Central e do Sul. O sistema numérico que utilizava o zero como unidade era o usado nos cálculos do tempo em calendários.

E aí, você já tinha parado para pensar na história desse número tão comum? 

Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria? Colabore com o autor clicando aqui!

Comentários (0)