Será que é possível um carrapato transformá-lo em um vegetariano ou pelo menos fazer você não querer nem ver carne vermelha? De acordo com um artigo da NBC, os médicos dos Estados Unidos têm observado um aumento súbito de alergias a carne em pessoas picadas por certo tipo de carrapato, sendo já cerca de 200 casos confirmados.

Este problema só foi descoberto há alguns anos, mas está crescendo conforme os carrapatos se espalham em algumas regiões do território norte-americano. Em alguns casos, até mesmo comer um hambúrguer ou um bife levou pessoas ao hospital com reações alérgicas severas.

Porém, poucos pacientes parecem estar cientes do risco e até mesmo os médicos demoraram a reconhecê-lo. Afinal, a condição pode ser facilmente confundida com uma intoxicação alimentar comum, porém com um quadro mais agravado. Além disso, pessoas que nunca tiveram alergia à carne não acham que ela foi causadora da alergia.

“Estrela Solitária”

As autoridades de saúde dizem que alguns carrapatos transmissores de doenças que antes eram encontrados apenas em torno da área de Montauk, uma região litorânea do estado de Nova York, agora estão aparecendo no oeste do condado de Suffolk, localidade próxima. Além disso, casos foram observados em todo o sul e metade oriental do país.

Segundo o alergista Greg Cergol relatou, em entrevista à NBC, o culpado é um carrapato do tipo “Lone Star” (ou “Estrela Solitária” em tradução livre), nomeado em homenagem ao Texas, um estado famoso pela tradição do churrasco.

No entanto, alguns pesquisadores acreditam que outros tipos de carrapatos também possam causar alergias à carne, pois casos foram relatados na Austrália, França, Alemanha, Suécia, Espanha, Japão e Coreia, onde o Lone Star não é observado.

Efeito da picada

Esses parasitas abrigam um composto que os humanos não têm, chamado galactose-alfa. Esse açúcar é encontrado na carne vermelha bovina, além de suína, de veado, de coelho e em alguns produtos lácteos. Geralmente, em alimentos que são digeridos pelo estômago, essa substância não faz mal.

Mas uma picada de carrapato com essa substância desencadeia uma resposta do sistema imunológico: o corpo então percebe o açúcar do carrapato no sangue e na pele da vítima como uma substância estranha, produzindo anticorpos para combatê-lo. Isso prepara o palco para uma reação alérgica acontecer na próxima vez que a pessoa comer carne vermelha que contém a galactose.

Louise Danzig, uma enfermeira de 63 anos da região de Montauk, foi uma das afetadas depois de comer um hambúrguer e relatou: "Eu acordei com as mãos muito inchadas e com muita coceira. Eu podia sentir que meus lábios e minha língua estavam ficando inchados também. Então eu comecei a perder a capacidade de falar e minha garganta estava fechando", disse ela. Louise tinha picadas de carrapatos recentes e um exame de sangue confirmou a alergia a carne.

Dra. Erin McGintee, uma especialista em alergia no leste de Long Island, uma área com muitos carrapatos, está mantendo um banco de dados para o estudo da doença com outros pesquisadores. As reações alérgicas podem ser tratadas com anti-histamínicos para aliviar a coceira, e as mais graves com adrenalina.