Confira 6 alimentos que são capazes de turbinar o seu cérebro

Saiba como a alimentação pode ajudar a desenvolver seu raciocínio, prevenir o envelhecimento e melhorar a saúde do seu cérebro.
Por em
Fonte da imagem: Reprodução/Shutterstock Confira 6 alimentos que são capazes de turbinar o seu cérebro

Saber tocar um instrumento musical, falar uma língua estrangeira e resolver exercícios de lógica são excelentes maneiras de desenvolver o seu raciocínio. Mas, você já parou para pensar que tudo aquilo que você come pode exercer uma grande influência sobre o seu cérebro?

Entre os jovens, é possível notar facilmente os benefícios que os nutrientes presentes em certos alimentos podem trazer para os estudos. No entanto, as vantagens não se resumem apenas aos mais novos e podem ser desfrutadas por pessoas de todas as idades.

Então, para manter o seu cérebro sempre ligado, melhorar sua disposição e turbinar seu raciocínio, confira uma lista de alimentos que não podem faltar no seu prato.

1. Pimenta

Fonte da imagem: Reprodução/Pixabay

Um toque de pimenta na sua alimentação é o suficiente para aumentar sua atenção na véspera de uma prova ou exame importante. A vantagem é que o consumo de pimenta – de preferência as mais fortes – não resulta na ansiedade e na insônia que costumam acompanhar a ingestão de café.

Além disso, diferentes tipos de pimenta contêm altas concentrações de vitamina C, que são fundamentais para o funcionamento das células nervosas. Um estudo publicado recentemente no periódico Human and Clinical Nutrition ainda mostrou que o consumo de frutas ricas em vitamina C durante seis semanas é capaz de melhorar consideravelmente o humor das pessoas.

2. Semente de cânhamo

Fonte da imagem: Reprodução/Shutterstock

O segundo item da lista desenvolvida pela Discovery News é a semente de cânhamo, também conhecida por ser uma planta da família Cannabis. Embora o consumo da planta não ajude a memorizar informações antes de uma prova, por exemplo, as sementes de cânhamo podem ser ótimas aliadas do cérebro, pois são ricas em ácido alfa-linolênico (ALA).

Essa é uma substância importante na produção das membranas das células do cérebro, além de sua ação nas bainhas de mielina, o que acelera a transmissão de sinais e impulsos nervosos. Outros alimentos, como a chia, a linhaça e as nozes também são fontes de ALA.

3. Batata

Fonte da imagem: Reprodução/Pixabay

De acordo com o Discovery News, o cérebro de um adulto consume aproximadamente 20% da energia obtida através da alimentação ao longo de um dia. Quando se trata das crianças, essa porcentagem é ainda maior! Por esse motivo, manter os níveis de glicose no sangue estáveis significa mandar energia constantemente para o cérebro.

Níveis saudáveis de glicose podem ajudar na formação da memória, é o que indica uma longa pesquisa publicada no Neuroscience & Biobehavioral Reviews. Por esse motivo, alimentos ricos em amidos – como batatas cozidas – são uma fonte lenta e estável de energia, já que os carboidratos que eles contêm são absorvidos pelo organismo mais lentamente do que os açúcares comuns.

4. Semente de abóbora

Fonte da imagem: Reprodução/Shutterstock

Já deu para perceber que alimentos pequenos, como as sementes, escondem uma série de nutrientes fundamentais para o seu cérebro, não é mesmo? Sendo assim, outra opção que pode ser incluída no seu cardápio são as sementes de abóbora.

O benefício dessas sementes está no ferro, que é uma substância importante para que ocorra o transporte adequado de oxigênio do sangue. Sem a presença do ferro no organismo, a oxigenação do cérebro fica comprometida, afetando também a produção de neurotransmissores.

Alguns dos sintomas da falta de ferro são irritabilidade, problemas de concentração e perda de memória. Um estudo publicado no World Journal of Biological Psychiatry no ano passado revelou que a deficiência de ferro no tálamo – uma importante região do cérebro – pode contribuir para o surgimento de déficit de atenção e hiperatividade.

5. Amêndoas

Fonte da imagem: Reprodução/Pixabay

As amêndoas contém uma grande dose de vitamina E, substância fundamental para combater os efeitos do envelhecimento no cérebro. O nutriente também é importante para a cognição – processo mental que inclui a atenção, memória, aprendizado e outras funções cerebrais.

O periódico Neurorehabilitation and Neural Repair publicou os resultados de um experimento que mostrou que a vitamina E pode prevenir danos cerebrais e minimizar dificuldades no aprendizado depois de traumas sofridos no cérebro.

6. Sal iodado

Fonte da imagem: Reprodução/Shutterstock

Para potencializar os efeitos que você conferiu nos alimentos anteriores, que tal usar uma pitada de sal iodado para dar um sabor especial? Além de deixar suas sementes de abóbora e batatas cozidas ainda mais apetitosas, o sal trará benefícios para o seu cérebro.

Para prevenir uma série de doenças, boa parte do sal produzido atualmente no mundo contém iodo. A substância é importante para controlar a produção de hormônios na tireoide, já que a deficiência de iodo em adultos pode causar o surgimento de bócio, que é o aumento inadequado do volume da tireoide.

Pessoas que sofrem dessa doença podem apresentar problemas mentais e falhas no desenvolvimento físico. É sempre recomendável adicionar um pouco de sal iodado às suas preparações, tomando o devido cuidado para não exagerar.

Bônus

Sol

Fonte da imagem: Reprodução/Shutterstock

O Sol está longe de ser um alimento, por isso não se encaixa exatamente na lista acima. No entanto, ele tem um papel tão importante para a saúde do seu cérebro que não pode ficar de fora da sua rotina.

Em vez de passar horas trancado no quarto ou em uma biblioteca para tentar absorver ao máximo os conteúdos aprendidos na escola ou na faculdade, prefira dedicar alguns minutos para tomar sol. Pode parecer estranho, mas é fundamental entrar em contato com os raios solares nos horários adequados para garantir a presença de vitamina D no seu organismo.

Quando o sol entra em contato com a pele, nosso corpo inicia o processo de síntese da vitamina D, que protege os neurônios do hipocampo – a região do cérebro que é responsável pela formação da memória. Esse nutriente também afeta o transporte de glicose até o cérebro, que é essencial para prover toda a energia que ele precisa para funcionar.

Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria? Colabore com o autor clicando aqui!

Comentários (0)