Hoje em dia, muita gente trata seus cachorros como se fossem filhos, mimando-os de várias formas. Afinal, às vezes é difícil resistir a tanta fofura, não é verdade? Se você tem um cãozinho (ou um gato), sabe que ele deve ser bem tratado e alimentado. Mas, imagine se a refeição do bichinho fosse preparada por um chef de cozinha? Exagero? Não para a família real da Inglaterra.

De acordo com um artigo publicado no Sunday Times, os cães da Rainha Elizabeth II são tratados com uma dieta de luxo baseada em filé mignon e de frango, sendo que essas carnes são preparadas por um chef de cozinha.

Paixão antiga: Corgi é a raça favorita da Rainha Fonte da imagem: Reprodução/The Sunday Times

Além disso, a finalização do prato dos bichinhos fica por conta da própria Rainha, que coloca um molhinho especial antes de dar o comando para eles comerem. Sim, eles têm horário certo e só podem apreciar a refeição após o “ok” da majestade.

Segundo a notícia, os cachorros comem exatamente às cinco horas da tarde com a ordem da Rainha. Essas informações sobre a rotina “animal” dentro do Palácio de Buckingham estão em um novo livro sobre a realeza e seus animais de estimação, que foi escrito pelo biógrafo real Brian Hoey. Ele diz ainda que os cães nunca comem alimentos processados e são tratados com homeopatia quando estão doentes.

Raça favorita

Os cães da raça Corgi (Pembroke Welsh Corgi) são os favoritos da Rainha Elizabeth desde que ela tinha 18 anos de idade, quando ganhou uma fêmea chamada Susan. A cachorrinha era tão querida pela Rainha, que foi para a lua de mel com ela e o príncipe Philip, em 1947.

Desta Corgi, nasceram várias outras crias e outras gerações. Alguns desses cachorrinhos foram cruzados com Dacshunds, dando origem à raça “Dorgis”. Hoje, a Rainha tem dois Corgis (Willow e Holly) e dois Dorgis (Candy e Vulcan), que circulam livremente no palácio real.

Fonte da imagem: Reprodução/Daily Mail

Os nomes de todos os cães são dados pela Rainha, que batizou recentemente um Labrador (que também tem o seu lugar na família real, assim como Cocker Spaniels) com o nome de Gryffindor, referente aos livros de Harry Potter. Segundo o autor do livro sobre os bichos de estimação da realeza, a família real da Inglaterra tem aversão a gatos e adora cães.