A grande maioria dos seres humanos (principalmente do sexo masculino) está tão preocupada em debater o tamanho ideal do pênis que sequer cogita discutir o formato do membro de outros animais (sim, bem lá no fundo você também não passa de um animal).

Acontece que a natureza é extremamente incrível na concepção sexual de algumas espécies. Tanto que estudar a genitália de certos bichinhos pode ser extremamente útil para diversas aplicações científicas! Atenção: os vídeos e as imagens desta matéria podem ser bastante perturbadoras. Pense bem antes de continuar a leitura.

Confira 7 imagens diferentes (e até assustadoras) dos órgãos reprodutores de algumas expécies:

1. Pato-de-rabo-duro

Apesar do nome, é o pênis deste pato argentino que impressiona pelo tamanho: pode ultrapassar os 40 centímetros! Proporcionalmente, é o maior membro entre os animais vertebrados. E é ainda mais curioso entre as aves, que normalmente não possuem pênis. Com formato de saca-rolhas, os cientistas acreditam que a seleção natural fez com que as fêmeas da espécies preferissem os “bem-dotados”, fazendo com que a espécie desenvolvesse esse membro gigantesco.

2. Aligátor

O aligátor, uma espécie norte-americana “prima” do jacaré, possui um pênis permanentemente ereto que fica escondido dentro de seu próprio corpo. Quando chega a hora de acasalar, o membro sai da cloaca pronto para a ação. Confira no vídeo abaixo:

3. Argonauta

Esse tipo de polvo entra na lista dos genitais mais esquisitos pelo desprendimento que possui com o próprio membro. Literalmente! O bicho é tão “nem aí” com o seu pênis que o deixa sair de seu corpo em busca das fêmeas da espécie. Tanto que na primeira vez que os cientistas encontraram um membro de argonauta “nadando” no mar eles pensaram se tratar de algum tipo de verme parasita.

Pênis do argonauta se desprende do corpo do macho em procura da fêmea

4. Píton

Está na hora de repensar em apelidar o seu pênis de “cobra”. Na verdade, elas possuem um membro tão bizarro que dificilmente você gostaria de fazer tal comparação. Normalmente, esses bichinhos possuem o chamado hemipênis, que se trata de um órgão reprodutor com duas cabeças. Apenas uma delas é usada durante a relação sexual, sendo que a outra pode entrar em ação em uma próxima oportunidade.

Pênis de uma píton se divide em duas cabeças

5. Caruncho-do-feijão

Está aí um belo representante a responder pela Lei Maria da Penha no mundo animal: o pênis do caruncho-do-feijão tem várias pontas afiadas que deixam cicatrizes traumáticas na vagina dessa espécie de besouro. Cientistas acreditam que os machos fazem isso para impedir que as fêmeas se acasalem novamente ou para garantir que elas realmente tenham seus “filhotes” e não necessitem novamente procriar.

Membro com espinhos machuca a genitália da fêmea desta espécie de besouro

6. Platelminto marinho

Existe uma espécie de platelminto marinho que trava uma verdadeira batalha peniana no fundo do mar! Na foto abaixo, dois indivíduos estão lutando para ver quem será a “fêmea” da espécie. Os platelmintos são seres hermafroditas, ou seja, possuem os dois sexos. Entretanto, é muito mais “fácil” produzir esperma do que ovos, por isso a necessidade de fecundar um “companheiro” e não a si próprio. Curioso, hein?

Animais lutam entre si para ver quem será a "fêmea" da espécie

7. Équidna

Se você achou estranho o pênis das cobras ter duas cabeças, vai se assustar ainda mais com o membro deste mamífero que bota ovos: são quatro extremidades, que funcionam aos pares. Os cientistas ainda não sabem explicar direito essa quantidade toda de ramificações penianas, mas os équidnas só encaixam duas delas durante o ato sexual.

É muita cabeça para pouco bicho, não acham?

***

Se você ainda estiver invejando os 40 cm do pênis do pato argentino, está na hora de fazer uma autoanálise: fique tranquilo que o seu pipi será completamente funcional para o que ele se propõe. E a questão de tamanho é apenas uma coisa de sua cabeça, é preciso saber usar o instrumento que você possui! Anote algumas dicas e seja feliz!