Pode confessar! Você já está careca de saber que a Rainha Elizabeth — assim como de toda a família dela, tão amada pelos paparazzi —, o Queen, Beatles, Pink Floyd, Led Zeppelin, Rolling Stones, Black Sabbath e Sex Pistols, assim como Dickens, Shakespeare, Jane Austin, Tolkien e J. K. Rowling, além de Isaac Newton, Faraday, Darwin, Higgs, Stephen Hawking, Robin Hood, James Bond, Mr. Bean e muitos, muitos outros vieram todos da Inglaterra.

Piccadilly Circus, Londres Fonte da imagem: Reprodução/Sofaltaesse

Você também já deve estar cansado de saber que o país é famoso pela pontualidade, pelo mau tempo, pelo enorme consumo de chá, por ter inventado o futebol e por ter os carros circulando pelo outro lado da rua. Mas, e os aspectos menos óbvios, aqueles que nem sempre contam para a gente nos guias de viagem?

Nesta edição do “Próxima Parada”, nós do Mega Curioso reunimos uma série de curiosidades sobre a Inglaterra que — esperamos — podem surpreender e divertir você. Então, caro leitor, que tal embarcar nesta viagem and have some fun?

Além de Londres

Parlamento Fonte da imagem: Reprodução/Sofaltaesse

Londres, sem sombra de dúvidas, é um destino imperdível do país, com sua Torre de Londres, o Palácio de Buckingham, o Parlamento, teatros, museus — como os sensacionais Museu Britânico e de História Natural —, enormes jardins, parques, galerias e um sem fim de atrações. No entanto, a Inglaterra não se resume apenas à capital! Pelo resto do país também é possível encontrar lugares surpreendentes e paisagens de tirar o fôlego.

Fonte da imagem: Reprodução/Wikipédia

Um dos exemplos mais emblemáticos é o Lake District National Park — vai dizer que a paisagem acima não é deslumbrante! —, localizado no condado de Cumbria e cujas paisagens serviram de inspiração para incontáveis poetas e pintores de todo o mundo. Além disso, outra região extremamente bela são as Cotswolds que, na opinião da redatora que vos escreve e que viveu no Reino Unido durante alguns anos, mostram um pouquinho da essência do que é a Inglaterra.

Chatsworth House, Derbyshire Fonte da imagem: Reprodução/Sofaltaesse

Essa região se espalha por vários condados do interior do país — Warwickshire, Gloucestershire, Somerset, Oxfordshire, Wiltshire e Worcestershire —, e nela podemos visitar diversas cidadezinhas históricas e vilarejos repletos de casas, pontes e outras estruturas feitas de pedra. Por aqui também é possível encontrar residências rurais com belos jardins floridos e cottages com telhados de palha, no mesmo estilo à da foto a seguir:

Fonte da imagem: Reprodução/Sofaltaesse

Ainda nas Cotswolds, além das — superfamosas — Oxford, Bath e Warwick, outro destaque imperdível da região é Stratford-upon-Avon, cidade natal de William Shakespeare. Localizada ao sul de Birmingham, sua principal atração são as casas do poeta que podem ser visitadas, e a arquitetura em estilo Tudor da cidadezinha, com aquelas vigas de madeira aparentes. Aliás, olha a foto da casa de Shakespeare abaixo:

Fonte da imagem: Reprodução/Paradise in the World

Viagem pela História

Como você já deve ter imaginado, com uma história tão longa — nem vamos falar muito sobre ela aqui para não entediar você —, o que não faltam pelo país são casarões, palacetes, catedrais antigas, castelos etc. O incrível é que muitas residências que pertenceram e, em alguns casos, até hoje pertencem, a famílias nobres estão abertas para visitação, e muitos ambientes são mantidos tal qual eram antigamente.

Warwick Castle Fonte da imagem: Reprodução/Wikipédia

A maioria desses lugares conta com guias prontos para contar todo tipo de anedota e explicar a história do local, isso sem falar que várias atrações foram transformadas em museus vivos. No Castelo de Warwick, por exemplo, você vai encontrar cavaleiros com armaduras, arqueiros, caçadores de ratos e até treinadores de aves de rapina, e vai poder assistir a torneios medievais, ver catapultas, visitar a masmorra e participar de várias atividades.

Black Country Living Museum Fonte da imagem: Reprodução/Digital News Room

Outro “museu vivo” muito interessante — mas talvez menos conhecido — é o Black Country Living Museum, em Dudley, próximo a Birmingham, que recria o ambiente da época da Revolução Industrial. Nele você pode ver o padeiro em ação, ir à escola e conferir como eram as aulas da época, ir à farmácia, visitar uma mina de carvão e até tomar uma cervejinha no pub local! E se você quiser mandar um postal do local, é só falar com o carteiro.

Girl Power

Fonte da imagem: Reprodução/Confessed Travelholic

Além de Elizabeth II, a rainha atual, a Inglaterra também viu muitas outras mulheres poderosas desfilarem por sua História. Entre as mais importantes, é impossível não mencionar Elizabeth I, que entre seus principais feitos, nunca se casou para não ter que dividir seu reino com nenhum monarca estrangeiro, venceu a “invencível” Armada Espanhola e aprendeu vários idiomas para não ter que depender de diplomatas e correr o risco de ser traída.

Além dela, outra que monarca que marcou a história do país foi a Rainha Victória, que reinou o país durante 63 anos (!!!). Durante seu comando, a Inglaterra se tornou a maior potência mundial da época, transformando-se no Império mais extenso do planeta. Margareth Thatcher, a Dama de Ferro, também não pode ser esquecida, já que foi a primeira Premier mulher do país, ficando à frente do governo de 1979 até 1990. E isso sem falar das Spice Girls, claro!

Hora do chá. E do pub!

Fonte da imagem: Pixabay

Uma das explicações sobre o surgimento do costume de se tomar o famoso chá das 5 é de que essa tradição foi “inventada” no século 19 pela Duquesa de Bedford, Anna Russell, que sentiu que era necessário introduzir uma refeição extra entre o almoço e o jantar. A nobre teria começado a convidar os amigos — de sangue azul, of course! — para acompanhá-la, e logo a moda se espalhou por todo o Império.

No entanto, outra explicação está associada com a Coroa Portuguesa. Segundo o escritor e professor de história Henrique Carneiro, o costume teria sido levado à Inglaterra no século 17 por Catarina de Bragança — filha de Dom João IV — após seu casamento com o rei Charles II.  O chá consistia em um dos produtos exóticos que os portugueses haviam trazido do oriente, e Catarina teria sido a responsável por introduzi-lo na corte inglesa.

Mas mudando de chá para cerveja, muitos fatos importantes aconteceram nos pubs espalhados pelo país. Karl Marx, por exemplo, escreveu o esboço do Manifesto Comunista e oferecia palestras em um pub de Londres, e a decisão de se construir a primeira ferrovia do país também foi “tomada” juntamente com algumas cervejinhas. Da mesma forma, foi em um pub que Francis Crick e James Watson anunciaram a descoberta da estrutura do DNA.

Fonte da imagem: Reprodução/Wikipédia

Hoje existem cerca de 60 mil pubs espalhados pelo país, e entre eles é possível encontrar alguns muito, muito antigos. Este é o caso do “Ye Olde Trip To Jerusalem”, de Nottingham, que, segundo a lenda, foi inaugurado em 1189, e era parada obrigatória dos cavaleiros que partiam para as cruzadas. Dizem, ainda, que o próprio Rei Ricardo I — Coração de Leão — seria um frequentador assíduo do estabelecimento. Acredite se quiser!

Mais fun facts

Stonehenge Fonte da imagem: Reprodução/Sofaltaesse

  • Durante cerca de 300 anos, o francês foi o idioma oficial na Inglaterra;
  • A Universidade de Oxford chegou a ter regras específicas que proibiam os alunos de portar arco e flecha durante as aulas;
  • No final do século 19, o The Times estimou que em 1950, as ruas da cidade de Londres estariam cobertas por mais de 2,5 metros de cocô de cavalo;

Fonte da imagem: Reprodução/Sofaltaesse

  • Usar o selo do rei ou da rainha de ponta cabeça é considerado um ato de traição;
  • O castelo de Windsor é a maior e mais antiga residência real do mundo ainda em uso. Ele foi originalmente construído em 1070 e reconstruído em 1170 com pedras;
  • A Catedral de York Minster é a maior catedral medieval do Reino Unido e é a igreja com a maior extensão de vitrais da era medieval do planeta;
  • Todos os golfinhos, esturjões e baleias até 4,8 quilômetros do Reino Unido são de propriedade da Rainha;

Fonte da imagem: Reprodução/Sofaltaesse

  • E falando em rainhas, Elizabeth II tem parentesco — distante — com “Vlad, o Empalador”, monarca que inspirou a criação do personagem Conde Drácula;
  • A comida mais popular da Inglaterra não é o tradicional “fish & chips” — peixe empanado e batatas fritas —, mas sim um prato da culinária indiana chamado chicken tikka massala, feito à base de frango e especiarias;
  • “Big Ben”, do conhecido ponto turístico de Londres, se refere ao nome do sino e não ao do emblemático relógio;
  • Nenhum ponto da Inglaterra fica a mais de 120 quilômetros da costa;

Fonte da imagem: Reprodução/Sofaltaesse

  • A temperatura mais alta já registrada na Inglaterra foi de 38,5° C em Brogdale, Kent, em 2003;
  • Falando em Kent, foi nesse condado que a escola e a cervejaria mais antigas da Inglaterra foram fundadas, chamadas King’s School e Shepherd’s Neame Brewery, no ano 600 e em 1698, respectivamente;
  • O rugby, o polo e o futebol foram esportes que surgiram na Inglaterra;
  • Os oficiais de polícia ingleses não carregam armas de fogo — exceto em emergências;
  • Antes de se tornarem famosos, a banda dos “Beatles” chegou a ser chamada “The Quarrymen”, “The Blackjacks” e “Johnny and the Moondogs”. No terceiro caso, o Johnny do nome se referia, evidentemente, a John Lennon;

Grande Salão, Christ Chruch’s College, em Oxford Fonte da imagem: Reprodução/ Christ Chruch

  • Muita gente acredita que Hogwarts existe de verdade, mas os filmes do Harry Potter foram gravados em várias locações espalhadas pelo o país. O salão no qual a turminha toda se reúne para as refeições, por exemplo, fica em Oxford e faz parte do Christ Church’s College, assim como alguns lances de escadas pelos quais os bruxinhos sobem e descem. Outro exemplo é o claustro da Catedral de Gloucester, que também aparece nos filmes. Veja:

Fonte da imagem: Reprodução/Sofaltaesse