Hoje o Próxima Parada vai falar da Hungria: um país do leste europeu que tem muitas belezas e história para contar. Agora você vai conhecer um pouquinho sobre esse lugar encantador, que tem paisagens incríveis, arquitetura imponente e muita cultura.

Herdeiro do antigo império Austro-Húngaro, o país faz fronteira com a Áustria, Eslováquia, Ucrânia, Romênia, Sérvia, Croácia e Eslovênia. A sua capital, Budapeste, é uma das mais belas do mundo, sendo cortada pelo Rio Danúbio. Mas vamos falar melhor dela mais adiante.

A Hungria é forte em suas tradições e costumes regionais, que se mostram em todos os aspectos da vida cotidiana, desde a gastronomia até a música e dança, vestuário e decoração. É um país de contrastes também entre o antigo e o moderno, sendo uma excelente opção para se visitar e viver momentos inesquecíveis.

Turismo na Hungria

Se você pretende viajar para a Europa um dia, não deixe de colocar a Hungria em seu roteiro. O país é um dos trinta destinos turísticos mais populares do mundo, atraindo cerca de 10,2 milhões de turistas por ano.

Lá você vai encontrar cidades belíssimas, museus e arquitetura que mostram parte da história marcante do país, rica gastronomia, além de várias opções de diversão e lazer com vida noturna vibrante e agitada.  

Por estar localizado no centro da Europa, o país é de fácil acesso, sendo que Budapeste fica a apenas três horas de carro de Viena, na Áustria. De trem, essa viagem fica ainda mais rápida. A entrada no país também é tranquila. Como membro da União Europeia desde 2004, nenhum visto específico é necessário para aqueles que desejam conferir as belezas da Hungria.

Uma vez em território húngaro, é difícil não se impressionar com a sua arquitetura. Um exemplo é a Praça dos Heróis (foto acima), em Budapeste, um dos cartões-postais da capital. A praça é rodeada ainda por outras construções belíssimas: o Museu de Belas Artes de Budapeste e o Palácio da Arte.

Na Hungria, os visitantes podem se deparar com construções incríveis de séculos atrás que ficam próximas a edifícios modernos. Ruínas romanas e igrejas góticas também são ótimas atrações arquitetônicas.  

A capital Budapeste

Ponte da Liberdade

A capital Budapeste é dividida pelo rio Danúbio, com Buda no lado ocidental e Peste na margem oriental. Além dos edifícios históricos que falamos acima, a cidade ainda impressiona com o magnífico Castelo de Buda e a arborizada Avenida Andrássy, que é uma das mais visitadas tanto pelos moradores quanto pelos turistas.

A Avenida é repleta de lojas de marcas locais e grifes internacionais, sendo uma dos mais agitados pontos de compras. A cidade também possui várias feiras e mercados culturais, onde é possível encontrar artigos tradicionais como bordados, cerâmicas, tapeçarias e itens de produção local que valem a pena experimentar como os vinhos. Os mercados tradicionais estão lado a lado com shoppings gigantescos e boutiques alternativas. Tem comércio para todos os gostos.

Uma ótima atração, perfeita para fotos, também é a primeira ponte da capital húngara, agora um monumento, que é um espetáculo fascinante para os turistas. A ponte Széchenyi Lánchíd (também chamada Ponte das Correntes) — que liga Buda e Peste sobre o Rio Danúbio — foi construída a pedido do conde István Széchenyi pelo designer William Tierney Clark e engenheiro Adam Clark entre 1839 e 1849.

A Ponte da Liberdade, que igualmente atravessa o Rio Danúbio, também apresenta um visual incrível. Outras grandes atrações da cidade são os museus e galerias que abrigam coleções de arte contemporâneas e clássicas, além das mais prestigiadas mostras itinerantes do mundo.

Terra das águas

Um dos muitos spas de águas termais

Apesar de não ser banhada pelo mar, a Hungria é considerada a Terra das Águas, pois detém o maior lago da Europa, o Balaton, e ainda é cortada por vários outros grandes rios que dividem e definem regiões.

Mas, além disso, o país está localizado em uma área geotérmica muito ativa e tem mais de mil poços de águas termais, tendo ainda o segundo maior lago termal do mundo para o banho (Lago Hévíz). Essa riqueza aquática termal do país é utilizada em diversos spas especiais para relaxamento ou tratamentos médicos, sendo uma parte importante da cultura húngara.

Alguns dos mais suntuosos resorts de águas termais incluem a Széchenyi Medicinal Bath, Banhos Gellért e Lukács, além da Margaret Island. Relaxar na água quente, rica em minerais curativos num ambiente incrível, com ou sem massagem, além de outros tratamentos especiais é um luxo raro, mas que não sai tão caro nesse país.

Os antigos romanos valorizavam os efeitos curativos das águas termais húngaras e desenvolveram a cultura de banho na região onde fica a Hungria a mais de dois mil anos. Durante a ocupação turca no século 16, os turcos acrescentaram um pouco de suas tradições dos banhos, alguns dos quais ainda estão em uso hoje.

Gastronomia

Goulash

A gastronomia húngara também é muito rica, tendo influências de componentes asiáticos antigos misturados com elementos germânicos, italianos e eslavos. Ela tem uma grande variedade regional, o que pode ser uma atração à parte para os viajantes que adoram descobrir os costumes culinários do país.

Um dos pratos mais famosos da Hungria é a sopa Goulash, que foi desenvolvida pelos pastores locais da região norte da Grande Planície. Essa sopa húngara é picante, feita com carne bovina picada, cebolas, legumes, pimentão, páprica e cominho.  

Outro prato tradicional é o Hortobágyi, um tipo de crepe salgado recheado de vitela, que geralmente é servido como entrada. A maioria dos pratos tradicionais salgados é relacionada com carnes bovinas, suínas, de frango e cordeiro. E a mistura de diferentes variedades de carnes é uma característica tradicional também. Em algumas receitas salgadas, são adicionadas ameixas e damascos, para fazer contraste com os molhos picantes.

O doce Kürtoskalács

Entre algumas guloseimas obrigatórias para experimentar em uma visita a Hungria estão ainda o langós: uma placa de massa frita que é coberta com creme de leite e queijo. Outras coberturas incluem molho de alho ou ketchup. E tem também o Kürtoskalács: um tipo de pão doce em espiral assado ao ar livre sobre carvão. Ele vem geralmente enrolado com açúcar, nozes ou coco ralado.

Outras curiosidades

  • A língua húngara é conhecida como Magyar. É o descendente direto da língua falada pelos hunos;
  • A Hungria foi um dos primeiros países da era comunista a se opor ao regime soviético durante a Guerra Fria, época nomeada como a Revolução Húngara de 1956;
  • Em 1989, a Hungria foi o primeiro país do bloco comunista a abrir as suas fronteiras com a Europa Ocidental;
  • Várias invenções foram feitas por húngaros que fugiram do país antes da Segunda Guerra Mundial, incluindo a holografia (por Dennis Gabor), a caneta esferográfica (por László Bíró) e a linguagem de programação BASIC (John Kemeny e Thomas E. Kurtz).
  • Desde 2007, 13 húngaros receberam um prêmio Nobel, somando mais do que o Japão, China, Índia, Austrália ou Espanha;
  • O famoso cubo mágico foi inventado por um engenheiro húngaro, Erno Rubik.