Todo mundo — até quem não segue nenhuma religião — já ouviu falar sobre a última ceia e, de tão conhecido, inclusive existem diversas obras famosas retratando esse evento. Mas, afinal, o que é que Jesus estava celebrando com seus apóstolos nessa ocasião? Como você sabe, Cristo era judeu, e apesar de a última ceia hoje estar relacionada com a Páscoa cristã, a verdade é que Jesus estava comemorando o Pessach, ou seja, a Páscoa judaica.

Essa é uma das festividades mais importantes do calendário judaico, consistindo na celebração da fuga dos hebreus da escravidão no Egito guiados por Moises. Segundo o Livro do Êxodo da Torá — a bíblia judaica —, Moises tentou convencer o faraó diversas vezes para que ele libertasse o seu povo, e inclusive alertou o governante que Deus lançaria dez pragas sobre o Egito caso ele não concordasse.

As Dez Pragas do Egito

Moises, por Rembrandt Fonte da imagem: Reprodução/Wikipédia

O faraó não concordou com a libertação dos israelitas, e as pragas — águas de sangue, rãs, piolhos, moscas, morte de animais, sarna, granizo, gafanhotos, escuridão e morte dos primogênitos — começaram, uma a uma, a cair sobre o Egito. No entanto, seguindo as instruções que Deus havia dado a Moises, antes da última praga, todos os judeus marcaram as portas com sangue de cordeiro para que as vidas de seus primogênitos fossem poupadas.

Assim, depois que um anjo enviado por Deus matou todos os primogênitos egípcios, o faraó acabou concordando em libertar o povo judeu por temor à ira divina. A celebração dessa data ocorre a mais de 3 mil anos, e era isso o que Jesus e seus apóstolos estavam “comemorando” durante a última ceia. Mas, como é que as duas páscoas acabaram se misturando?

Pessach x Páscoa

“Última Ceia”, por Leonardo da Vinci Fonte da imagem: Reprodução/Wikipédia

Acontece que o Pessach celebrado durante a última ceia ocorreu às vésperas da crucificação e ressurreição de Cristo, então as duas festividades acabaram se interligando. E não é só isso: o ano litúrgico judaico não serve de base apenas para as festividades dos judeus, mas para as dos cristãos também, determinando a data daquelas celebrações sem data fixa, que variam de acordo com eventos astronômicos.

Mas apesar de a festa cristã ter a sua origem na festa judaica, as duas têm significados diferentes. Assim, enquanto o Pessach marca a libertação do povo judeu no Egito, a Páscoa cristã representa a libertação de todos que estavam separados de Deus devido aos seus pecados, que foram perdoados através da morte e ressurreição de Jesus.

Curiosidades sobre o Pessach

Seder Fonte da imagem: Reprodução/Wikipédia

Já publicamos aqui no Mega Curioso diversas matérias relacionadas com a Páscoa cristã, incluindo uma sobre como essa festividade é celebrada em outras partes do mundo. Abaixo você pode conferir algumas curiosidades sobre o Pessach:

  • A celebração dessa festividade dura entre sete e oito dias, dependendo do país;
  • No início do Pessach, ocorre um jantar cerimonial — chamado Seder — cheio de simbolismos, no qual famílias e amigos se reúnem para comemorar;
  • O prato do Seder consiste em um ovo cozido, osso com carne tostado de cordeiro, hortaliças amargas (como a escarola, por exemplo), vegetais mergulhados em água com sal, salsão e um purê feito de uma mistura de maçã, pera, nozes e vinho;
  • Na véspera do Seder, todos os primogênitos devem fazer jejum para relembrar a salvação de todos os primogênitos israelitas que sobreviveram às pragas do Egito.