Qual é a velocidade máxima que um humano pode alcançar correndo?

Essa questão não é tão fácil assim de solucionar, e vários cientistas estão trabalhando para encontrar a melhor resposta.
Fonte da imagem: Wikipédia Qual é a velocidade máxima que um humano pode alcançar correndo?

Caso você seja fã de atletismo e esteja por dentro dos últimos recordes mundiais, é provável que saiba a resposta para a pergunta do título, não é mesmo? Contudo, apesar de Usain Bolt — superatleta jamaicano considerado como o homem mais rápido do planeta — ter feito história ao percorrer 100 metros em incríveis 9,58 segundos, será que esse é o limite máximo de velocidade que um ser humano pode alcançar correndo?

Fonte da imagem: Reprodução/Wikipédia

Na verdade, tudo depende de para quem fazemos essa pergunta. Um estudo estatístico realizado há alguns anos por pesquisadores da Universidade de Stanford, nos EUA, apontou que o melhor tempo humanamente possível para um percurso de 100 metros seria de 9,48 segundos, ou seja, 0,10 abaixo do recorde conquistado por Bolt. Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores criaram um gráfico baseado em informações estatísticas, a partir dos melhores tempos anuais registrados por velocistas masculinos desde o ano de 1900.

Aliás, os humanos não foram as únicas espécies observadas no estudo: os pesquisadores também produziram gráficos para cães e cavalos de corrida, descobrindo que, embora os criadores tentem desenvolver raças de animais que sejam cada vez mais velozes, existe um limite máximo de velocidade para todos. E isso, segundo a turminha da estatística, também se aplica aos atletas.

Biomecânica e avanços

Uma abordagem diferente, considerando a biomecânica envolvida na locomoção humana em vez de dados estatísticos, apresentou um resultado bem diferente. De acordo com essa linha de raciocínio, o principal fator que influencia a velocidade de um corredor é a força com a qual os pés atingem o solo. Quando esses atletas se deslocam a uma velocidade constante, seus membros funcionam como se fossem molas, conseguindo um maior impulso.

Fonte da imagem: pixabay

Assim, quanto maior a força aplicada, mais rápido será o deslocamento, e a melhor forma de conseguir isso é aplicando técnicas específicas de corrida. Os pesquisadores da turminha da biomecânica descobriram que, ao saltar, os nossos membros atingem o solo com 30% mais força do que quando simplesmente corremos, e baseados nessa informação eles calcularam que — em teoria — os seres humanos poderiam percorrer 100 m em apenas 5,18 segundos!

Combinação de ciência e tecnologia

Mas será que um ser humano realmente poderia correr mais depressa do que um guepardo, mamífero mais rápido do planeta e que consegue cobrir a distância de 100 m em menos de 6 segundos? Na teoria, talvez, mas na prática provavelmente não. Ainda assim, os pesquisadores acreditam que, com uma combinação de técnicas adequadas e uma ajudinha da ciência, o melhor tempo pode definitivamente ficar bem próximo e até abaixo dos 9 segundos.

Fonte da imagem: Reprodução/Wikipédia

A verdade é que, juntas, ciência e tecnologia estão mudando os limites da velocidade humana. Hoje em dia é possível alterar as propriedades mecânicas dos músculos com o uso de hormônios, e os avanços não param por aí. Pesquisadores já conseguiram alterar as fibras musculares de ratinhos geneticamente, o que significa que talvez seja possível fazer o mesmo com humanos em um futuro próximo.

Isso sem contar o desenvolvimento de novos equipamentos e produtos esportivos, que também podem promover a melhora no desempenho dos velocistas. Então, responder com precisão qual é a velocidade máxima que um ser humano pode alcançar correndo, como você pode perceber, não é uma tarefa nada fácil.

Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria? Colabore com o autor clicando aqui!

Comentários (0)