O que não faltam neste mundo são teorias da conspiração malucas, e uma que recentemente começou a circular pela internet se refere a uma maquinação nazista. Segundo os rumores, uma redefinição em como a música mundial deveria ser afinada teria provocado mudanças no comportamento da população, tornando-a mais violenta e antissocial. Como é que é?

Em 1953, a Organização Internacional para Padronização — ou ISO — definiu como standard que a afinação da música deveria ser reajustada de 432 para a frequência de 440 hertz, e essa ação teria sido comandada por Joseph Goebbels, o Ministro da Propaganda Nazista. Mas, o que é que essa variação tem a ver com o comportamento humano, você deve estar se perguntando.

Desarmonia do mal

Fonte da imagem: Reprodução/Why Don’t You Try This

De acordo com os especialistas em conspirações, a frequência de 432 Hz — também conhecida como Lá de Verdi — seria uma afinação alternativa que, matematicamente, é consistente com o tom puro da natureza, sendo capaz de transmitir energia e promover a cura. Por outro lado, a frequência de 440 Hz seria um padrão antinatural de afinação, que não pertence à simetria das vibrações e harmonias sagradas, tendo o efeito maléfico sobre o subconsciente.

Goebbels teria descoberto que a frequência de 440 Hz tinha o poder de fazer com que a população se sentisse e pensasse de uma forma determinada, tornando-a prisioneira de uma “consciência” destrutiva e materialista. O vídeo abaixo, produzido pela turminha das teorias da conspiração, traz uma comparação entre as duas frequências:

E é agora que a coisa começa a ficar mais interessante… Pense nas pessoas que você encontra nas ruas, no colégio, no trabalho etc. O que é que muitas delas têm em comum? Foninhos de ouvido! Segundo os “conspiradores”, tanto a frequência sonora como a vibração exercem um enorme poder sobre as nossas vidas, podendo influenciar a nossa saúde, assim como a música faz.

Portanto, a música afinada deliberadamente em um padrão demoníaco teria consequências terríveis sobre a mente da população mundial, trazendo não só a desarmonia, mas doenças, desunião e guerras.

É possível que Goebbels, que era membro da Sociedade Vril — que acreditava na existência de seres tecnologicamente avançados que habitavam o centro da Terra — tenha obtido lá na década de 40 informações em primeira mão sobre a existência de iPods, MP3 players e aparelhos do tipo no futuro, para arquitetar um plano brilhante como esses com o objetivo de dominar a mente da população mundial. E você, leitor, já tinha ouvido falar sobre isso?