8 fotos impressionantes que quase provocaram a morte dos fotógrafos
12
Compartilhamentos

8 fotos impressionantes que quase provocaram a morte dos fotógrafos

Último Vídeo

Muitos fotógrafos ignoram ameaças e chegam a extremos para conseguir a foto perfeita. Não é por menos: quanto maior o risco, mais impressionante o resultado pode ser. Mas o preço pago pelos profissionais é alto: a captura do “instante decisivo”, como definiria Henri Cartier-Bresson, pode custar a própria vida.  

Fotógrafos de natureza selvagem e de zonas de conflito costumam ser os que mais correm riscos, ficando cara a cara com um animal feroz ou grupos armados. Milhares de profissionais já morreram nessas situações — mas não é o caso dos que estão nesta lista, pois sobreviveram para contar a história. Confira abaixo 8 fotos que deixaram seus fotógrafos próximos da morte:

1. Leão furioso

O fotógrafo Atif Saeed quase foi morto pelo leão que estava fotografando. Ele estava dirigindo por um parque natural em Lahore, no Paquistão, quando observou o animal. Saeed dirigiu em direção ao felino, desceu do veículo e começou a fotografá-lo. O bicho não gostou nenhum pouco da aproximação e partiu em direção a ele. 

A captura horripilante foi feita pouco antes de Saeed correr e pular para dentro de seu jipe. Ele provavelmente só escapou porque tinha deixado a porta do veículo aberta — certamente pensando que essa situação poderia acontecer. 

2. Guerra Civil Síria

Em 2012, Tracey Shelton estava cobrindo a Guerra Civil Síria quando quase foi morta por uma bomba disparada em sua direção por um tanque do Exército Árabe Sírio. A captura foi feita no instante em que uma granada lançada por um soldado atingiu um grupo da facção rebelde. Três pessoas que estavam no local morreram na explosão. Shelton sobreviveu ilesa, embora estivesse coberta de poeira e fumaça. 

3. Ataque de mamba-negra

A mamba-negra é uma das cobras mais venenosas do mundo. Poucos seres humanos mordidos por ela sobreviveram para contar a história. O fotógrafo Mark Laita foi um desses sortudos. Em 2012, ele não só foi mordido pela serpente como clicou o exato momento do ataque.

Laita estava trabalhando em um livro sobre cobras, então, viajou para a América Central, onde fotografou serpentes mantidas por um colecionador. O coletor havia removido as glândulas de veneno da maior parte das cobras, mas não as da mamba-negra. 

A serpente se aproximava de Laita quando o colecionador atingiu o cabo da câmera do fotógrafo. Nesse momento, ela se assustou e o atacou. Embora tenha sangrado em grande quantidade, ele sobreviveu sem tratamento. O profissional suspeita que a cobra não tenha liberado veneno durante a mordida ou que a substância mortal tenha sido expelida juntamente com o sangue.

4. Gorila brigão

O fotógrafo Christophe Courteau quase foi socado por um gorila que estava fotografando no Parque Nacional dos Vulcões, em Ruanda. Ele e uma equipe de profissionais estavam clicando uma tropa de gorilas quando o líder, de 250 quilos, atacou Courteau sem aviso prévio. 

A foto mostra o exato momento em que o animal estava com o punho cerrado. Na verdade, o gorila estava perseguindo outro da espécie, mas empurrou o fotógrafo. Courteau não ficou gravemente ferido e acabou apenas com uma pequena cicatriz na cabeça.

5. Rinoceronte escondido

Jonathan Pledger estava fotografando animais selvagens na África do Sul quando de repente um rinoceronte-branco saiu correndo em sua direção. Ele não tinha percebido que o bicho estava por perto e no momento que notou foi tarde demais: depois de ouvir barulhos vindos de arbustos próximos. 

O rinoceronte saltou e começou a correr em direção ao fotógrafo, mas Pledger continuou capturando imagens do momento. Por sorte, o animal mudou de ideia, virou à esquerda e correu de volta para os arbustos.

6. Guerra Civil da Somália 

Mohammed Shaffi não era um fotógrafo, mas um cinegrafista que estava cobrindo a Guerra Civil da Somália. Em 1993, o exército dos EUA atacou um dos líderes da guerra somali, Mohammed Farah Aidid. Os veículos da milícia de Aidid foram ao hotel de Shaffi e de sua equipe e se ofereceram para levá-los para tirar fotos e gravar vídeos das movimentações.

Quando a equipe chegou lá, no entanto, a multidão enfurecida que se reuniu no local começou a atacá-los. Um técnico de som e três fotógrafos foram mortos. Shaffi foi espancado e apedrejado enquanto corria, mas conseguiu fugir, pulando em um veículo cheio de somalis.

7. Crimes de guerra

O fotógrafo Ron Haviv quase perdeu a vida por fotografar crimes de guerra durante a Guerra da Bósnia em 1992. Sua foto mais icônica mostra um integrante do grupo paramilitar Tigres chutando o corpo de uma mulher que seus colegas haviam acabado de matar. Haviv registrou outras imagens de ações tenebrosas dos paramilitares, muitas vezes secretamente. Quando as fotografias foram publicadas, Haviv foi procurado e jurado de morte pelo grupo.

8. Bisão em fúria 

Willis Chung é outro fotógrafo que teve que fugir de um animal selvagem enquanto fotografava. No caso, um bisão de uma tonelada. Chung estava tirando fotos no Parque Nacional de Yellowstone, nos Estados Unidos, quando de repente o bicho correu em sua direção, mas ele continuou fotografando enquanto o bisão se aproximava.

Quando o animal estava perto demais, Chung fugiu, deixando para trás a câmera montada no tripé. O animal andou até lá e ficou analisando o equipamento com curiosidade. Enquanto isso, Chung tirou mais fotos do bisão com sua câmera extra.

***

Você conhece a newsletter do Mega Curioso? Semanalmente, produzimos um conteúdo exclusivo para os amantes das maiores curiosidades e bizarrices deste mundão afora! Cadastre seu email e não perca mais essa forma de mantermos contato!

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.