O que acontece com itens ilegais apreendidos nos aeroportos?

O que pode ou não ser levado com você na bagagem em um voo internacional? Caso o seu destino seja os Estados Unidos, é melhor ficar atento às limitações. Desde os atentados de 11 de setembro em 2001, a alfândega do país tem sido muito mais rigorosa com o que pode ou não ser levado nas malas vistoriadas no aeroporto.

O aeroporto John F. Kennedy (JFK) em Nova Jersey, por exemplo, recebe cerca de 43 mil passageiros de voos internacionais por dia e somente no Terminal 4 cerca de 1 mil malas são checadas a cada hora. E nessas bagagens, existem muitas coisas que não são permitidas no país. Então, o que é feito com os itens confiscados?

Ajuda canina

(Fonte: Port of Seattle/Divulgação)(Fonte: Port of Seattle/Divulgação)

Na década de 1990, entrar com objetos nos EUA poderia ser uma missão muito mais fácil. Entretanto, a preocupação com o terrorismo fez as coisas mudarem por lá. Portanto, os oficiais precisam estar atentos 24 horas por dia para terem certeza de que nada ilegal está atravessando as fronteiras.

Em geral, a alfândega norte-americana atua com dois tipos de autoridades: policiais comuns e especialistas em agricultura. Além deles, muitos costumam contar com a ajuda de um parceiro canino para rastrear os itens proibidos. Nesses casos, os cães são treinados para identificar narcóticos e ajudar com as apreensões.

Como o controle do aeroporto costuma lidar com indivíduos de alto risco, os cachorros policiais são treinados para agir de maneira passiva quando identificam um problema. Sendo assim, eles não latem ou arranham quando encontram droga em uma mala, mas sim se sentam no chão. Caso estejam certos, eles são recompensados.

Problemas com comidas

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Diferente do que alguém poderia imaginar, as drogas não são os maiores problemas de um aeroporto. O JFK, por exemplo, recebe cerca de 40 kg de alimentos proibidos nos EUA diariamente. Quando um viajante entra no país, ele precisa declarar qualquer item alimentício que estiver levando consigo, caso o contrário estará sujeito a uma multa de US$ 1 mil. 

E esse tipo de proibição não acontece porque os policiais desejam comer sua comida. Em geral, a alfândega é responsável por proteger a agricultura local de quaisquer pragas ou doenças estrangeiras que possam afetar o gado ou colheitas. Internacionalmente, isso também pode ser chamado de bioterrorismo. 

Um exemplo disso é o que aconteceu no estado da Flórida entre 2007 e 2014, quando produtores de laranja e uva perderam cerca de US$ 2,9 bilhões graças ao psilídeo cítrico asiático — insetos minúsculos que atacam as plantações.

Descarte dos itens

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Quando um alimento contrabandeado é identificado, as autoridades têm duas opções para descarte: moê-lo ou incinerá-lo. Em geral, o moedor é usado para frutas, vegetais e outras commodities. Antes de passarem por esse processo, os alimentos são cortados na metade para a realização de busca por pestes.

Caso algum inseto seja encontrado, uma amostra será coletada e enviada para ser analisada em laboratório. Portanto, na próxima vez que for viajar, certifique-se de declarar tudo o que você está carregando e não tente entrar em outro país com uma laranja escondida na mochila.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.