Quais são os nomes mais comuns no Brasil historicamente?

Dependendo das tendências e do que esteja em alta no momento, os nomes mais populares escolhidos por pais e mães podem se alterar, copiando algumas palavras que podem marcar não apenas a vida da família como um todo, mas também dar uma maior presença para os filhos.

No Brasil, isso não é diferente, principalmente em um país com tanta diversidade e variedade, onde todo tipo de nome é bem aceito e tem muitas chances de ganhar repercussão.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia (IGBE) e com base no Censo Demográfico 2010, existiam cerca de 130.348 nomes no Brasil, sendo 63.456 masculinos e 72.814 femininos. Entre eles, os destaques foram os recordistas Maria e José, que foram dados respectivamente para cerca de 11,7 milhões e 5,7 milhões de pessoas. Além deles, nomes populares como João, Antônio, Francisco, Paulo, Ana, Francisca e muitos outros surgiram disparado no top de mais utilizados por brasileiros, de acordo com coletas a partir da década de 1930.

"As formas variantes dos nomes foram contabilizadas distintamente, conforme registradas na lista de moradores do domicílio no momento da coleta do questionário, tenha sido este realizado pelo recenseador durante a entrevista presencial ou pelo próprio informante via Internet", esclareceu a instituição.

"Desse modo, nomes como Ana ou Anna, Ian ou Yan, Luis ou Luiz, entre outros, foram considerados de per si (isoladamente), com a grafia original da coleta. Também não foram previstos sinais diacríticos (acentos agudo, circunflexo e grave, cedilha, trema e til), assim, nomes como Antônio, Cauã, Luís, Luísa, entre outros, foram considerados sem tais sinais", de acordo com o IBGE.

O estudo veio acompanhado de um interessante infográfico no qual é possível tirar informações relevantes sobre todos os nomes dados para as pessoas brasileiras. Na ferramenta intitulada "Nomes no Brasil", o público pode pesquisar palavras e encontrar em qual década elas foram mais utilizadas para nomear alguém, além de realizar comparativos entre nomes para observar o que estava mais evidente entre a população durante um certo intervalo e caçar tendências entre os estados da nação.

(Fonte: Curiosamente / Reprodução)(Fonte: Curiosamente / Reprodução)

Por exemplo, até 1940, Daniel e Marcos eram utilizados em baixa escala e nas mesmas proporções sociais, mas ambos saltaram vertiginosamente em popularidade a partir de 1950, encontrando respectivamente seus domínios em 2000 e 1970. Já casos como Getúlio, que teve grande influência do ex-presidente da República, o auge do nome ocorreu na metade do século XX e caiu em desuso a partir de 1950; enquanto Victor segue em forte alta desde a década de 1990, em parte impulsionado pela viralização do Castelo Rá-Tim-Bum.

Os 10 nomes mais utilizados no Brasil até 2010

Atualmente, vários dos nomes preferidos utilizados até 2010 foram parcialmente deixados de lado, dando lugar a Miguel, Helena, Arthur, Theo, Alice e muitos outros; nomes que sequer configuravam entre os 20 mais populares antes da 1ª década do século XXI.

Então, conheça abaixo o top dez registrado pelo ranking do IGBE e descubra o que era tendência antes do surgimento de nomes mais "exóticos e modernos".

  1.  Maria, com 11,7 milhões de registros.
  2. José, com 5,7 milhões de registros. 
  3. Ana, com 3 milhões de registros.
  4. João, com 2,9 milhões de registros.
  5. Antônio, com 2,5 milhões de registros.
  6. Francisco, com 1,7 milhão de registros.
  7. Carlos, com 1,4 milhão de registros.
  8. Paulo, com 1,4 milhão de registros.
  9. Pedro, com 1,2 milhão de registros.
  10. Lucas, com 1,1 milhão de registros.
Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.