Seja o primeiro a compartilhar

BR-116? BR-277? Entenda a numeração das estradas federais

Você já se perguntou o porquê de as rodovias brasileiras serem identificadas por números? Será que essa numeração tem a ver com a quantidade de rodovias que existem no país, sendo assim, a BR-116 seria a 116ª rodovia?

A verdade é que essa identificação tem um sentido bastante prático e pode ajudar as pessoas a se localizarem em relação aos extremos do país.

O que é uma BR?

A sigla “BR” identifica as rodovias federais, ou seja, as estradas que ligam dois ou mais estados da federação brasileira, assim como os extremos do país.

Quando a estrada liga cidades do mesmo estado, ela é uma rodovia estadual. Nesses casos, ela é identificada pela sigla do estado (PR, SP, RJ etc.).

Liga Brasília a algum outro estado? Então, essa BR vai começar com 0

(Fonte: DNIT)(Fonte: DNIT)

As estradas que ligam a capital do nosso país, Brasília, a outras regiões vão começar sempre com 0. Essas rodovias são chamadas de “rodovias radiais”, pois quando olhamos o mapa percebemos que elas partem da capital brasileira e seguem para longe dela. Ao todo, temos 8 rodovias radiais. A primeira delas é a BR-010 e a cada nova BR radial, o nome ganha uma dezena (BR-020, 030 etc.). Sendo assim, a última BR radial é a BR-080.

Liga o país no sentido norte-sul? Então, começa com 1

(Imagem: DNIT)(Imagem: DNIT)

Se a rodovia ligar dois ou mais estados no sentido norte–sul, ela será uma rodovia “longitudinal”. Assim, sua numeração começa com 1.

Novamente, Brasília é o ponto de referência para a identificação das estradas brasileiras, já que, se a rodovia estiver a leste da capital, ela vai variar da numeração 100 até 150. A oeste de Brasília, de 150 a 199, sempre em sentido crescente a partir do litoral.

Liga o Brasil no sentido leste-oeste? Então, a BR começa com o número 2

(Imagem: DNIT)(Imagem: DNIT)

Se você estiver em uma BR que começa com o algarismo 2, essa rodovia vai estar "na horizontal" quando olhamos o mapa. Essas são as chamadas rodovias transversais.

A numeração vai obedecer a seguinte lógica: ao norte de Brasília, as dezenas variam de 00 a 50. Ao sul da capital, temos as dezenas 50 a 99.

E quando a rodovia está na diagonal?

(Fonte: DNIT)(Fonte: DNIT)

Bem, como o Brasil é um país de dimensões continentais, é natural que muitas rodovias precisem estar orientadas diagonalmente. Nesses casos, o primeiro algarismo da numeração dessa estrada será o 3.

Se ela estiver no sentido noroeste-sudeste, ela terá final par. Se estiver no sentido nordeste-sudoeste, terá final ímpar.

A distribuição das dezenas também tem como ponto de referência a cidade de Brasília. Do extremo nordeste do Brasil até a capital, as dezenas vão variar de 00 a 50. Já do extremo sudoeste do país, as dezenas variarão de 50 a 98.

Rodovias de ligação

As rodovias de ligação começam com o número 4 e elas podem ser o ponto de conexão entre 2 rodovias ou de 1 estrada até algum ponto importante. Se a via estiver ao norte do paralelo de Brasília, sua dezena pode variar de 00 a 50. Se estiver ao sul da linha imaginária, de 50 a 99.

Existem 2 exceções a essa regra: a BR-610 e a BR-600. A 1ª tem apenas 5 km e serve de ligação entre a SP-270 e o Aeroporto Internacional de Guarulhos. A BR-600 tem 6 km e liga Foz do Iguaçu à Usina de Itaipu.

E as rodovias estaduais?

Praça da Sé, o marco zero da cidade de São Paulo. (Fonte: Shutterstock)Praça da Sé, o marco zero da cidade de São Paulo. (Fonte: Shutterstock)

Todas as rodovias estaduais seguem a mesma lógica das federais. O último estado a adotar o padrão foi Santa Catarina, em 2013. Contudo, o que muda são os pontos de referência. Na maioria das estradas estaduais, esse ponto passa a ser a capital do estado. No caso das rodovias estaduais paulistas, por exemplo, é a Praça da Sé — que é o marco zero da capital São Paulo.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.