5 estudos científicos questionáveis sobre humanos e animais
95
Compartilhamentos

5 estudos científicos questionáveis sobre humanos e animais

Último Vídeo

O que seria do mundo sem a ciência, e mais, sem as pessoas que se dedicam a ela? Os inúmeros pesquisadores que passaram por esse mundo e deixaram suas contribuições para a humanidade construíram um legado inestimável. A cura de doenças e a descoberta de novas espécies de plantas e animais são, sem dúvida, algumas das maiores conquistas da ciência.

Mas você já deve ter reparado que, de tempos em tempos, surgem algumas pesquisas inusitadas por aí. São estudos bizarros que nos fazem pensar: por que raios alguém pensaria em estudar uma coisa dessas? Independente do motivo que levou a comunidade científica a dedicar seus esforços a temas curiosos como os que você verá abaixo, às vezes acabamos questionando a relevância das pesquisas.

O site Listverse garimpou alguns dos estudos mais engraçados que já foram realizados até agora e nós selecionamos alguns para você. Confira cada um deles e deixe sua opinião sobre as pesquisas nos comentários.

Estudo #1

Fonte da imagem: Reprodução/Shutterstock

Investigação: O tamanho do pé corresponde ao tamanho do pênis?

Instituição: University College, Inglaterra

Estudo: Para conduzir esse estudo, os pesquisadores mediram os pés e os pênis de 104 homens. Como não existe uma maneira mais apropriada de medir um pênis, os pesquisadores seguiram a técnica utilizada em outros estudos e estabeleceram uma determinada tensão para esticar o órgão o máximo possível. Esse método é utilizado por conseguir apontar o provável tamanho do pênis em ereção. E o resultado do estudo (para alívio do público masculino) é que não foi possível encontrar parâmetros científicos que sustentassem a relação entre o tamanho do pé e o comprimento do pênis.

Curiosidades: Em outro estudo, um grupo de pesquisadores gregos mediu altura, peso, índice de cintura e quadris, tamanho dos dedos e comprimento do pênis de 52 homens com idades entre 19 e 38 anos. De fato, eles concluíram que a idade e as características físicas não estavam associadas ao tamanho do órgão sexual. A única exceção era para o dedo indicador, “que correspondia significativamente às dimensões do pênis flácido esticado ao máximo”.

Estudo #2

Fonte da imagem: Reprodução/New Scientist

Investigação: Os elefantes são capazes de reconhecer a si mesmos?

Instituição: Sociedade de Conservação da Vida Selvagem de Nova York, Estados Unidos

Estudo: Três elefantes asiáticos chamados Happy, Maxine e Patty ficaram em observação depois que um grande espelho foi instalado em seu hábitat. Para analisar o comportamento dos animais, a elefanta Happy teve um X branco pintado em cima de um de seus olhos. Uma marca semelhante foi feita do outro lado da cabeça do animal com uma tinta transparente com o mesmo cheiro e textura. Quando viu sua imagem no espelho, a elefanta levantou repetidamente a tromba para tocar a marca branca. Além disso, os outros elefantes também fizeram movimentos repetitivos em frente ao espelho, aparentemente para inspecionarem seus corpos. Maxine, por exemplo, chegou a colocar a ponta da tromba dentro da boca e olhar no espelho como se estivesse tentando investigar a boca por dentro.

Curiosidades: Com esse estudo, os elefantes foram colocados ao lado dos primatas e golfinhos, passando a fazer parte do pequeno grupo de animais que têm capacidade de reconhecer a si mesmos em um espelho.

Estudo #3

Fonte da imagem: Reprodução/Shutterstock

Investigação: Pessoas casadas ficam parecidas com o passar do tempo?

Pesquisador: Robert Zajonc, psicólogo da Universidade de Michigan, Estados Unidos

Estudo: Foram recrutados 110 participantes para analisar uma série de fotos de rostos. Em seguida, os voluntários deveriam combinar homens e mulheres de acordo com a semelhança física. 24 fotografias mostravam casais no início do casamento e mais 24 fotografias retratavam as mesmas pessoas depois de 25 anos. Os participantes conseguiram relacionar maridos e esposas com mais facilidade nas imagens que mostravam as pessoas mais velhas.

Curiosidades: Não existe uma explicação correta para os resultados desse estudo, mas o pesquisador sugere algumas teorias. Uma delas se baseia no tipo de alimentação seguido pelos casais, ou seja, se ambos seguem uma dieta calórica, ambos terão rostos cheios. Outra possibilidade defende que as pessoas tendem a escolher parceiros que vão se parecer mais com elas com o passar do tempo. Mas a alternativa mais popular é a simpatia. A possível explicação para as pessoas ficarem parecidas é que elas simpatizam e isso faz com que elas passem a copiar as expressões faciais uma da outra. Com o avanço do tempo, seus rostos se tornariam mais parecidos.

Estudo #4

Fonte da imagem: Reprodução/Shutterstock

Investigação: Por que as macacas gritam durante a relação sexual?

Instituição: Centro de Primatas, Alemanha

Estudo: Para investigar o motivo que leva as macacas a gritar, cientistas comportamentais e primatologistas (especialistas em macacos) se concentraram durante dois anos na observação de Macacos-de-Gibraltar que habitam uma reserva natural em Gibraltar. Eles descobriram que as fêmeas gritavam em 86% das relações sexuais. Mas o mais interessante é que, quando elas gritavam, 59% dos machos ejaculava, mas quando elas não faziam qualquer tipo de barulho, apenas 2% dos macacos conseguia chegar ao clímax. Para entender se os gritos estavam relacionados à intensidade da relação, os cientistas contaram o número de movimentos pélvicos dos machos e a velocidade em que eles aconteciam. Assim, os pesquisadores concluíram que o grito das fêmeas serve para colocar seus parceiros “no clima”, já que sem esse recurso eles raramente ejaculam.

Curiosidades: Ao analisar o comportamento sexual dos Macacos-de-Gibraltar, os pesquisadores também notaram que esses animais costumam ter relações com vários parceiros e que as fêmeas gritam quando estão férteis, aumentando as chances dos machos conseguirem fecundá-las.

Estudo #5

Fonte da imagem: Reprodução/Shutterstock

Investigação: As ovelhas são capazes de reconhecer humanos e outras ovelhas?

Instituição: Babraham Institute, Inglaterra

Estudo: Os pesquisadores estavam interessados em descobrir se as ovelhas eram capazes de distinguir e se lembrar do rosto de humanos e de outras ovelhas. Para isso, eles treinaram os animais através da associação com a comida. Dessa maneira, os cientistas descobriram que as ovelhas eram capazes de reconhecer os rostos que estavam associados à comida até mesmo quando estavam de perfil. O mesmo estudo mostrou que elas são capazes de memorizar o rosto de até 50 ovelhas diferentes, além de rostos humanos familiares, por um prazo de até dois anos.

Curiosidades: Por apresentarem habilidades de reconhecimento facial tão sofisticadas, as ovelhas fizeram os pesquisadores acreditar que elas possam ter interações sociais muito mais complexas do que se imaginava até então.

* * *

O objetivo dessa lista é apenas dar destaques para pesquisas científicas curiosas e divertidas que já foram realizadas no mundo. Assim como os estudos citados acima, certamente existem outros que poderiam fazer parte dessa matéria por serem igualmente inusitados. Mas isso não significa que os referidos estudos são insignificantes. Pelo contrário. Sabemos que todas as descobertas científicas têm um valor inestimável para a humanidade, mas não podemos negar que algumas são mais engraçadas do que as outras, não é mesmo?!

*Publicado originalmente em 08/11/2013.

***

Você conhece a newsletter do Mega Curioso? Semanalmente, produzimos um conteúdo exclusivo para os amantes das maiores curiosidades e bizarrices deste mundão afora! Cadastre seu email e não perca mais essa forma de mantermos contato!

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.