A obsessão humana pela bunda chega ao ápice, e a ciência explica
493
Compartilhamentos

A obsessão humana pela bunda chega ao ápice, e a ciência explica

Último Vídeo

As bundas nunca estiveram tão em evidência como hoje. Na cultura popular, elas são valorizadas e aclamadas e já ganharam até mesmo um “pau de selfie” exclusivo, o “belfie stick”. Mas do ponto de vista científico e evolutivo, o que é e para que serve esse grande pedaço de gordura atrás de nossa pélvis? E por que ele nos chama tanta atenção?

A Universidade de New South Wales, da Austrália, resolveu explorar o tema através do seu programa "How We Get Here” e descobriu que ele pode nos dizer muito sobre nosso passado evolutivo. De acordo com o que concluíram, nossa pelve tem um formato único que distingue humanos dos nossos ancestrais primatas.

Caminhando e tendo filhos

Segundo o biólogo evolucionista Darren Curnoe, é graças a nossa pélvis ampla e plena que podemos caminhar de forma estável em qualquer terreno. Os quadris também se expandiram ao longo dos anos, assim como nossos cérebros e crânios, a fim de permitir aos nossos antepassados femininos darem à luz.

Essa é a principal razão para a diferença considerável entre as formas corporais de homens e mulheres. O corpo feminino precisa de quadris maiores para conseguir expelir para fora a criança. Mas, além disso, elas têm muito mais gordura em nádegas, quadris e coxas que os homens. O que explica?

Pelve feminina evoluiu para passar a cabeça de uma criança

Seleção sexual

Segundo Curnoe, o fato que justifica isso é o tamanho maior dos quadris femininos. Mas outra teoria aponta para um caminho mais, digamos, apimentado: a protuberância das mulheres seria um traço sexualmente selecionado.

A seleção sexual é uma força evolutiva poderosa em todo o reino animal. Seguindo por essa lógica, homens e mulheres preferem características ligadas à fertilidade ou à habilidade de paternidade e maternidade. Sendo assim, as pessoas buscam se acasalar com indivíduos que possuem esses traços em detrimento de outros.

Sem relação

Contudo, a bunda não tem qualquer benefício quando se trata de fertilidade. Nos seres humanos, os temas não estão ligados, como nos chimpanzés – um sinal traseiro indica que a fêmea está no cio, ou seja, pronta para acasalar.

Em nossa espécie, o processo do cio é oculto e acontece internamente, o que nos diferencia da maioria dos mamíferos. Uma explicação para a atração pela bunda é que muitos homens associam um grande bumbum à fertilidade.

Outro motivo para o tamanho grande da bunda feminina estaria relacionado ao tamanho do pênis humano e nossa vontade de ter relações sexuais a qualquer época do mês. O tema ainda parece um pouco nebuloso. Por isso perguntamos a você: o que você pensa sobre o assunto?

*Publicado em 7/9/2015

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.