Você já ouviu falar em Tandem?

Você já ouviu falar em Tandem?

Equipe MegaCurioso
Último Vídeo

Crédito: Thinkstock

Deixando os esmaltes um pouco de lado, resolvi falar de um projetinho bem legal que pode ajudar muito àqueles se interessam por idiomas e gostam de aprender novas línguas: o Tandem.

A origem do nome do projeto vem daquelas bicicletas de dois lugares em que as pessoas precisam pedalar juntas e colaborar uma com a outra para que possam alcançar um destino. E o projeto funciona exatamente como a bicicleta: é uma via de mão dupla que pede colaboração e trabalho mútuo para que as duas pessoas possam chegar juntas ao mesmo lugar.

Os primeiros experimentos do que hoje conhecemos como o Tandem aconteceram na Alemanha por volta da década de 1970. O método se baseia na aprendizagem autônoma e colaborativa. É autônoma por não precisar de um professor e colaborativa por sempre envolver dois estudantes que ajudam um ao outro. Assim, no Tandem, dois estudantes “pedalam” juntos em direção ao mesmo destino: a proficiência em uma língua estrangeira.

Além do aspecto linguístico, o projeto também trabalha com a troca intercultural, já que as duplas são formadas por estudantes de países diferentes e suas línguas maternas também são diferentes. Por exemplo, um brasileiro que queira aprimorar seu italiano e um italiano que queira melhorar seu português podem realizar uma parceria-tandem. Dessa maneira, o brasileiro auxilia seu parceiro-tandem a aprender português, e esse, por sua vez, ajuda o brasileiro a aprender italiano.

Existem duas modalidades do projeto: o e-tandem (também conhecido como in-tandem), que é feito a distância através da internet, e o face-to-face, realizado com encontros presenciais. Por acontecerem de maneiras diferentes, cada método tem suas vantagens e desvantagens. Enquanto os encontros realizados através da internet aumentam as chances de conseguir uma parceria-tandem, as reuniões presenciais possibilitam que os alunos entrem em contato com um número maior de situações do cotidiano em que precisariam da língua estrangeira.

Crédito: Thinkstock

O programa é bem divulgado no mundo todo e faz parte do currículo de muitas universidades da União Europeia desde 1994. Porém, poucas pessoas conhecem essa oportunidade barata e divertida de aprender um novo idioma no Brasil.

A Unesp de Assis, em São Paulo, foi a primeira universidade a inserir o Tandem no Brasil e já possui um programa bastante consolidado, mas só aceita a participação de alunos da Unesp ou de universidades estrangeiras conveniadas. Em 2007, surgiu o primeiro Tandem face-to-face do Brasil, vinculado ao Centro de Línguas e Interculturalidade da UFPR (CELIN), em Curitiba, e que hoje é aberto para pessoas de toda a comunidade.

Nas minhas aventuras no Tandem, conheci pessoas muito legais. Minha primeira experiência foi com uma moça de Khabarovsk, no extremo-oriente da Rússia, que havia se casado com um brasileiro e estava aprendendo português para poder se virar no país. No momento, eu e meu esposo estudamos com um casal de russos da Sibéria que pretendem passar um ano no país para aprender português.

Os encontros são realizados de acordo com a disponibilidade dos parceiros-tandem e são combinados diretamente entre eles. Não existe nenhum método de estudos a ser seguido. O principal objetivo é, como comentei no começo, que as duas pessoas se ajudem com explicações, exemplos, livros, filmes e quaisquer outros meios que possam levar ao aprendizado. As reuniões podem ser feitas em escolas, universidades ou até mesmo no shopping – afinal, um filme nacional pode ajudar um estrangeiro a conhecer um pouco mais da nossa cultura, não é mesmo?

No final, a parte mais divertida é poder trocar experiências e conhecer pessoas que têm uma cultura muito diferente da sua. Em geral, mais do que aprender um novo idioma, os parceiros-tandem acabam virando grandes amigos.

Até a próxima,
F.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.