Mesmo que os ataques de tubarões a humanos sejam bastante raros — as estatísticas apontam que o número é de um ataque para cada 3,7 milhões de pessoas —, a verdade é que esses animais são bastante temidos pelo mundo. E você há de concordar que as cobras também não estão entre os bichos mais “queridos” da galera, né? Então, imagine se deparar com uma criatura que, além de ser um tubarão, tem cabeça de cobra e, de quebra, é dotada com 300 dentes afiados!

Esse é o — apropriadamente conhecido como — tubarão-cobra (Chlamydoselachus anguineus), um animal estranho e com aparência ligeiramente aterrorizante sobre o qual já falamos brevemente aqui no Mega Curioso em outra ocasião. Pois, apesar de ser esquisitão, esse peixe é pra lá de fascinante, uma vez que ele é contemporâneo dos tiranossauros e, sobreviveu à extinção do Cretáceo-Paleógeno e não mudou nada ao longo de muitos milhões de anos, o que significa que essa criatura é um autêntico fóssil vivo.

Tubarão pré-histórico

E por que estamos falando do tubarão-cobra? Porque é extremamente raro se deparar com um deles, uma vez que eles costumam viver em grandes profundidades. Há alguns anos, um exemplar foi encontrado no litoral da Espanha, e existem registros de avistamentos na costa da Austrália, Nova Zelândia e do Japão. Agora, um espécime foi capturado acidentalmente por um time de pesquisadores na costa de Portugal.

Ironicamente, os pesquisadores — um time da União Europeia — estavam conduzindo estudos para encontrar formas de minimizar a captura acidental de espécies “indesejadas” durante a pesca comercial quando “pescaram” o raríssimo tubarão. O animal foi capturado a cerca de 700 metros de profundidade, media cerca de 1,5 metro de comprimento e as análises apontaram que se tratava de um macho.

De acordo com os cientistas, os tubarões-cobra — que, se você reparar bem, meio que lembra uma enguia supercrescida — podem chegar a medir mais de 1,8 metro de comprimento e contam com 25 fileiras de dentes afiados como facas e em formato de gancho que somam aproximadamente 300 unidades no total. Imagine só levar um mordisco de um bicho desses! Veja a “boquinha” do exemplar encontrado em Portugal:

Boca do tubarão cobra(BBC/Sic Notícias TV)

Por sorte, se os encontros entre tubarões e banhistas já são bastante incomuns, os tropeços com os tubarões-cobra são incrivelmente raros. Assim, os humanos definitivamente não fazem parte da dieta desses animais. Esses bichos costumam se alimentar de lulas, peixes e outros integrantes da fauna marinha — e suas presas, sim, devem se preocupar em se aproximar demais desses dinos subaquáticos, pois, uma vez eles cravam seus dentinhos no corpo de suas vítimas, elas dificilmente escaparão com vida do ataque.

Tubarão cobra(BBC/Sic Notícias TV)

Mas, o interessante é que, além disso que contamos acima, como é tão raro que os cientistas se deparem com tubarões-cobra, sabe-se muito pouco sobre esses fascinantes animais — e um mistério que intriga os pesquisadores é o fato de essa espécie ainda existir enquanto muitos de seus contemporâneos não conseguiram sobreviver à extinção. Outra curiosidade é que os cientistas acreditam que foram essas criaturas que serviram de inspiração para as lendas contadas por marinheiros sobre encontros com monstruosas serpentes do mar.