7 dos mitos científicos mais procurados na internet
76
Compartilhamentos

7 dos mitos científicos mais procurados na internet

Último Vídeo

Há certos mitos urbanos que, mesmo com uma série de informações disponíveis, persistem mesmo não sendo verdadeiros. Pensando em ajudar você a entender quais são eles (e suas respostas), reunimos aqui 7 dos casos científicos mais pesquisados no Google.

1. Vai fazer macarrão? Não coloque óleo

A maioria de nós, mortais, ama um bom macarrão, e todos têm um molho preferido para chamar de seu, mas será que estamos fazendo essa iguaria da maneira certa? Para quem ainda tem dúvidas, aqui vai a resposta: a não ser que seu jantar seja macarrão alho e óleo, deixe essa substância longe da panela. 

Ao ferver a água para cozinhar macarrão, o correto é colocar apenas sal, para realçar o sabor. Colocar óleo só vai tornar sua refeição menos saudável e prejudicar a aderência do molho ao macarrão. 

2. Sal não vai fazer a água ferver mais rápido 

Outro mito que deve ir ralo abaixo. Adicionar sal à água vai com certeza influenciar o sabor, mas não o tempo de cozimento (não na quantidade usada para cozinhar pelo menos). Aliás, a rigor, o sal tornaria a fervura ainda mais lenta, já que o ponto de ebulição se torna mais alto, mas isso é uma explicação para outra hora. 

3. A água dos vasos sanitários não gira em sentidos diferentes dependendo do hemisfério

Embora muitos viajantes parem diante do vaso sanitário para observar em qual direção a água gira, infelizmente esse fenômeno só acontece em grandes proporções. Chamado de força inercial de Coriolis, o efeito faz com que tornados e furacões girem em sentido anti-horário no Hemisfério Norte e horário no Sul (apesar de haver debate sobre isso na comunidade científica), mas não atua em pias e vasos sanitários, onde a quantidade de água é muito pequena e pode sofrer influência de muitos outros fatores.  

4. Não obedeça à regra dos 5 segundos (nem dos 3)

Ao contrário do que seu colega ou sua fome disser, não coma nada que tenha caído no chão, mesmo que rapidamente. Seja por 5 ou 3 segundos, os germes não vão esperar para atacar seu lanche. É claro que, quanto mais tempo a comida passar em contato com a região, maior será a infestação, mas isso acontece instantaneamente, então é melhor deixar para lá. 

5. Vidro não é um líquido

Não, ao contrário do que dizem por aí, vidros não são líquidos. E não adianta usar a famosa prova de que vitrais de igreja, por exemplo, são mais grossos em baixo e mais finos na parte de cima  o que indicaria que as moléculas estariam lentamente se movendo de acordo com a gravidade. Não! Isso só prova que os artesãos que produziram a peça, na época, não conseguiam um padrão de espessura tão rigoroso assim. Vidros na verdade são sólidos amorfos, ou seja, um líquido mais sólido, mas menos duro que um sólido. Entendeu?

6. Tudo bem, pode ir nadar depois de comer

Quem nunca sofreu o drama de escolher entre o picolé e poder brincar no mar durante as férias de verão não sabe o que é uma dúvida cruel. O que não se sabia na época, porém, é que poderíamos ter ficado com os dois — sem nenhum problema ou risco de vida. Claro, o mito é muito mais usado (por mães) quando comemos bastante, mas o fato é que, no máximo, o resultado é sentir algumas cãibras. 

7. Cães suam, sim!

Se você já viajou de carro com um cão durante o verão, sabe do que estamos falando. Os cachorros suam, apesar de a maioria das pessoas pensar o contrário (e pesquisar isso na internet). A questão é que eles fazem isso onde não há pelos, ou seja, nas almofadinhas das patas, e a regulação de temperatura é realizada por meio da respiração. Quando estão ofegantes, eles expelem ar quente e respiram ar frio, como um radiador canino.

***

Você conhece a newsletter do Mega Curioso? Semanalmente, produzimos um conteúdo exclusivo para os amantes das maiores curiosidades e bizarrices deste mundão afora! Cadastre seu email e não perca mais essa forma de mantermos contato!

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.