Neve derretida no Monte Everest expõe cadáveres de alpinistas
847
Compartilhamentos

Neve derretida no Monte Everest expõe cadáveres de alpinistas

Último Vídeo

À medida em que as altas temperaturas provocadas pelo aquecimento global derretem as geleiras e a neve do Monte Everest, operadores de expedição encontram cada vez mais cadáveres de alpinistas no pico mais alto do mundo. 

Desde de 1922, quando foram registradas as primeiras mortes de alpinistas no Everest, mais de 200 pessoas morreram. Acredita-se que muitos destes corpos permaneceram sob a neve. Até hoje, mais de 4.800 escaladores escalaram o pico mais alto da Terra. "Devido ao impacto do aquecimento global, a neve e as geleiras estão derretendo rapidamente e cadáveres estão sendo cada vez mais expostos e descobertos por alpinistas", disse Tshering Sherpa, ex-presidente da Associação de Montanhismo do Nepal. "Desde 2008, minha própria companhia derrubou sete cadáveres de alguns montanhistas, alguns dos quais remontam a uma expedição britânica nos anos 70."

Créditos: Pixabay

Os corpos estão sendo removidos no lado chinês da montanha, ao norte, quando a temporada de escalada da primavera começa. Mas recuperar e remover corpos nessas condições pode ser caro e difícil. Especialistas dizem que a operação pode custar entre US $ 40 mil e US $ 80 mil. "Uma das recuperações mais desafiadoras foi da altura de 8.700 m, perto da cúpula", explicou Tshering. "O corpo estava totalmente congelado e pesava 150kg e teve que ser recuperado de um lugar difícil naquela altitude", acrescentou.

Especialistas explicam que qualquer decisão sobre o que fazer com um cadáver encontrado na montanha também é uma questão muito pessoal. Segundo Alan Arnette, famoso alpinista e que também escreve sobre montanhismo, a maioria dos escaladores prefere que seu corpo seja deixado nas montanhas se eles morrerem. "Então, seria considerado desrespeitoso apenas removê-los, a menos que eles precisem ser removidos da rota de escalada ou que seja o desejo das suas famílias", explicou Arnette. 

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.