Lagoa na cratera do vulcão Kilauea continua crescendo

Lagoa na cratera do vulcão Kilauea continua crescendo

Último Vídeo

Descoberta no dia 31 de julho, durante observação de pesquisas geológicas, a lagoa localizada no fundo da cratera Halema’uma’u, do vulcão Kilauea, continua crescendo, segundo informações divulgadas pelo US Geological Survey (USGS). “Se trata de uma pequena mancha verde dentro da área visível mais profunda da nova caldeira do cume”, disse o USGS à época da descoberta.

Acontece que duas pequenas piscinas continuaram crescendo e, em alguns momentos, até mesmo se fundiram. De acordo com as medições rotineiras realizadas pelo telêmetro a laser, a lagoa aumenta cerca de um metro por semana. As imagens capturadas e divulgadas mostram como as lagoas do vulcão cresceram em apenas duas semanas.

Foto: USGS

“Essas fotos mostram o crescimento da lagoa de água em Halema‘uma‘u por um período de duas semanas. Em 7 de agosto, a lagoa principal tinha cerca de 15 metros de largura e se separou de duas lagoas menores; no dia seguinte, o nível da água subiu o suficiente para que todas as três lagoas se unissem. Em 23 de agosto, a lagoa única e alongada tinha cerca de 35 metros de largura e 80 metros de comprimento e ainda crescendo”, escreveu a USGS.

No vídeo divulgado, é possível ver o lado de água na base da cratera. A água, se superfície verde calcária, esta fumegando e ondulando. As estimativas são de que a temperatura da superfície da água seja em torno de 70 °C. Ainda sem ter certeza de onde a água fervente do vulcão é originária, os cientistas trabalham para confirmar sua origem, mas acreditam que o surgimento das lagoas possa estar relacionado à erupção do Kilauea em 2018. O vulcão esteve ativo por vários meses no verão passado causando diversos “fenômenos”, desde a produção de nuvens de tempestade e tornado até “criar” novas terras ao longo da costa. Agora, após colapsos consideráveis, o fundo da cratera do vulcão está mais baixo que o topo do lençol freático. 

A água não era observada na cratera há pelo menos 200 anos, mas segundo o geólogo Scott Rowlands, há algumas lendas havaianas que mencionam a água encontrada nas profundezas do Kilauea. “Eu acho que, salvo qualquer tipo de distúrbio, ele continuará a penetrar e eventualmente se equilibrar, de modo que o lençol freático e o nível da água na cratera sejam mais ou menos os mesmos", disse.

Foto: USGS

As piscinas do vulcão Kilauea continuarão sendo monitoradas pelo Observatório do Vulcão Havaiano.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.