Estudo minimiza relação do consumo de carne vermelha com câncer

Estudo minimiza relação do consumo de carne vermelha com câncer

Último Vídeo

Um novo estudo assinado por cientistas de sete países tem causado polêmica ao sugerir que o consumo de carne vermelha não causa câncer. De acordo com os pesquisadores, não existem evidências suficientes de que a ingestão do alimento esteja relacionada ao aumento dos casos da doença e também de outras patologias, como diabetes, pressão alta e derrame cerebral.

(Fonte: Freepik)

Publicada no periódico Annals of Internal Medicine, a pesquisa feita por cientistas das universidades McMaster e Dalhousie, no Canadá, afirmou que a carne vermelha e também a processada — carne seca, bacon, presunto, salsicha e linguiça, entre outros — em excesso não são tão prejudiciais à saúde quanto dizem médicos e nutricionistas. 

Para chegar a esta conclusão eles revisaram sistematicamente dezenas de estudos feitos ao longo dos últimos anos, envolvendo milhares de pessoas, e descobriram que não existem dados estatísticos significativos para associar a ingestão de carne ao câncer e doenças cardiovasculares. Segundo os pesquisadores, esse vínculo é pequeno e a quantidade de evidências muito baixa.

Contrariando a Agência Internacional de Pesquisa em Câncer

Em 2015, a Agência Internacional de Pesquisa em Câncer da Organização Mundial da Saúde (OMS) fez um alerta sobre os efeitos nocivos da carne vermelha, determinando que eles provavelmente estariam ligados ao surgimento da doença. O Instituto Nacional do Câncer (INCA) tem o mesmo aviso em sua página.

(Fonte: Freepik)

Mas a equipe comandada pelos cientistas das universidades canadenses, que contou com a participação de 14 pesquisadores, usou uma metodologia diferente para analisar os estudos anteriores, ao longo de três anos.

Segundo Gordon Guyatt, em comunicado da Universidade McMaster, um dos responsáveis pelo estudo, a metodologia foi mais rigorosa e por isso os resultados divergiram das pesquisas convencionais. Isso até fez com que muitos grupos de saúde e médicos solicitassem a retirada do material da internet à revista científica responsável por publicar o artigo.

Um importante esclarecimento

Bradley Johnston, um dos participantes do estudo, fez um importante esclarecimento a respeito do resultado ao qual a pesquisa chegou. 

Em entrevista à BBC, ele disse: “Não estamos dizendo que não há risco, estamos dizendo que há apenas evidências de baixa certeza de uma redução muito pequena no câncer e outras consequências adversas à saúde da redução do consumo de carne vermelha.”.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.