Cientistas desenvolveram IA capaz de prever morte de pacientes

Cientistas desenvolveram IA capaz de prever morte de pacientes

Último Vídeo

Os algoritmos de aprendizado de máquina têm ganhado cada vez mais o âmbito de pesquisas científicas. Um dos recentes estudos relacionados a inteligência artificial, foi um algoritmo desenvolvido para analizar ecocardiogramas de pacientes cardíacos e foi capaz de analisar quanto tempo os pacientes têm de vida.

O estudo foi realizado por pesquisadores do grupo regional de saúde Geisinger da Pensilvânia e o algoritmo teve melhor desempenho do que as medidas tradicionais utilizadas pelos cardiologistas.

Um dos pontos da pesquisa mais intrigantes para os pesquisadores foi a previsão de risco de morte de alguns pacientes com ecocargiogramas considerados saudáveis pelos médicos. Porém, é muito difícil fazer a engenharia reversa para poder concluir exatamente como o algoritmo chegou a esse veredito, somente como ele faz os cálculos.

Como uma IA pode prever a morte de alguém?

morte
(Fonte: RowAnalytics / Reprodução)

Para imitar a tomada de decisões de cardiologistas, a equipe desenvolveu um algoritmo que leva em conta os mesmos fatores que os cardiologistas usam para calcular os riscos de morte de seus pacientes.

É muito complexa a captação manual de dados de um grande número de cardiologistas comparado com a capacidade do um algoritmo. Porém, isso poderia analisar melhor ainda os resultados da IA, comparados com os dados coletados pelos profissionais.

O algoritmo é capaz de decidir quais pessoas sobreviveriam e quais iriam morrer dentro de um ano, e seu sucesso foi medido em quantas pessoas foram colocadas nos grupos corretos, de acordo com os cálculos.

O algoritmo apresentou uma taxa de acerto de 85% comparado com a taxa de sucesso de 65 a 80% do cálculo tradicional. Porém, como a medicina envolve ética, é complicado utilizar dados de um ambiente fechado de estudo, para mudar a análise que os médicos fazem sobre seus pacientes.

Estes obstáculos fazem uma grande diferença em como os estudos futuros poderão buscar novas análises sobre este algoritmo. A complexa análise dos dados pode demorar décadas para que o algoritmo possa ser realmente compreendido e, caso validados, possa ser utilizado para melhorar as previsões médicas.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.