Exército da Austrália quer usar robôs para se proteger da China

Exército da Austrália quer usar robôs para se proteger da China

Último Vídeo

Pensando em revigorar suas Forças Armadas para atuação em um possível cenário de guerra, a Austrália está investindo no uso de robôs, inteligência artificial e aprimoramento humano, criando um Exército forte para se proteger da China, principalmente. A afirmação foi feita pelo major-general Mick Ryan, segundo o Daily Mail.

De acordo com a publicação, a estratégia do Exército australiano foi detalhada em uma série de documentos divulgados pelo Departamento de Defesa do país, que descrevem a importância da tecnologia. A ideia é integrar soldados humanos a máquinas, sensores e outros aparatos para aumentar a capacidade de sobrevivência, letalidade e entendimento do combatente.

Entre os equipamentos que já estão sendo testados pelos militares australianos para colocar o país um passo à frente nesta “guerra tecnológica” estão armas digitais com mira computadorizada, veículos terrestres não-tripulados, robôs e drones com armas, como mostram os documentos.

Militares australianos já estão testando robôs para uso em guerra. (Fonte: Daily Mail/Reprodução)

O investimento na robótica e na inteligência artificial também seria uma forma de compensar o baixo número de soldados que compõem as Forças Armadas da Austrália, segundo o major-general, além de possibilitar a redução das cargas físicas e cognitivas dos soldados.

Guerra contra a China?

Conforme o Daily Mail, um dos principais motivos do investimento australiano na tecnologia de guerra é se precaver de uma possível ofensiva da China, já que o país asiático é um dos que mais tem expandido sua tecnologia militar nos últimos anos.

É bom lembrar que não há uma guerra ocorrendo entre as duas nações. Os dois países possuem uma boa relação comercial, inclusive, mas isso não impede a Austrália de ver os chineses como uma potencial ameaça para a região.

Exército da Austrália quer usar robôs para se proteger da China via TecMundo

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.