Estrela massiva pode ter desaparecido sem deixar sinais

Estrela massiva pode ter desaparecido sem deixar sinais

Último Vídeo

Estrelas massivas constituem uma categoria muito específica de estruturas cósmicas e, dadas suas proporções monstruosas, não desaparecem no meio do cosmos sem deixar sinais do que o aconteceu. Entretanto, uma estrela massiva intensamente mais brilhante que o nosso Sol parece ter, literalmente, sumido sem deixar rastros.

A estrela em questão vinha sendo objeto de estudos dos cientistas há uma década. Porém, com essa ocorrência nunca antes vista, os astrofísicos se debruçam na busca de explicações sobre o que aconteceu.

Nenhum sinal: cientistas pesquisam o que aconteceu com a estrelaNenhum sinal: cientistas pesquisam o que aconteceu com a estrela

Um artigo publicado recentemente na revista Monthly Notices da Royal Astronomical Society traz algumas das possíveis explicações que estão sendo analisadas pelos pesquisadores.

Morte estelar

Geralmente, quando uma estrela massiva e significativamente maior que nosso Sol chega a fase final de sua vida, ela dá início a uma enorme explosão de supernova. Quando isso ocorre, os cientistas conseguem detectar facilmente seus rastros, uma vez que mancham o espaço ao redor de onde a estrela estava com radiação e gás ionizado — que se estendem em todas as direções por muitos anos-luz.

Entre os anos de 2001 e 2011 os cientistas estudaram profundamente essa estrela 2,5 milhões de vezes mais brilhante que o Sol situada na galáxia anã Kinman. 

Em 2019, quando resolveram olhar novamente para verificarem como ela estava indo, com o Very Large Telescope do Observatório Europeu, a equipe foi surpreendida com fato de que a assinatura da estrela tinha desaparecido.

De acordo com Andrew Allan, um dos principais autores do estudo sobre esse evento astronômico, se essa estrela realmente desapareceu sem deixar sinais “esta seria a primeira detecção direta de uma estrela 'monstro' terminando sua vida dessa maneira".

A — agora — ausente estrela estava localizada a 75 milhões de anos luz, na Constelação de Aquário. E, dentre as explicações mais emocionantes e estranhas sobre o que aconteceu, há a possibilidade de que ela nunca tenha conseguido se recuperar de sua explosão, mas sim, caído em buraco negro sem ter tido a chance de se transformar em uma supernova.

A equipe de cientistas não descarta essa possibilidade uma vez que, dada a massa estimada da estrela, ela poderia ter dado início a um buraco negro com um tamanho entre 85 e 120 vezes a massa de nosso Sol.  


Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.