6 curiosidades sobre o dragão-de-Komodo

O dragão-de-Komodo é o maior lagarto existente na Terra atualmente, podendo chegar até 3 metros de comprimento e pesar 68 kg ou mais. Mesmo que esse enorme réptil não possa voar ou soltar fogo pela boca, o nome "dragão" pode não ser tão absurdo assim e existem alguns motivos para isso.

Por isso, nós separamos uma lista com seis curiosidades sobre essas magníficas criaturas que você provavelmente não sabia até agora. Então, preste bem atenção!

1. Nativos da Austrália

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

Embora os dragões-de-Komodo tenham ficados famosos por Komodo, uma ilha na Indonésia, esses gigantes lagartos foram descobertos na Austrália. De acordo com registros de fósseis, a espécie (Varanus komodoensis) saiu da Oceania e seguiu para as ilhas da Indonésia, chegando à Ilha de Flores há cerca de 900 mil anos.

Segundo um estudo feito em 2009, os dragões-de-Komodo desapareceram da Austrália há cerca de 50 mil anos, o que coincide com a chegada dos seres humanos no continente. Atualmente, essas criaturas entraram para a lista da União Internacional para a Conservação da Natureza de espécies ameaçadas de extinção.

2. Animais venenosos

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

Por muito tempo, acreditava-se que a mordida do dragão-de-Komodo era especialmente letal porque carregava as muitas bactérias presentes na boca desse animal. A verdade, no entanto, só apareceu em 2009 graças a um estudo conduzido pelo pesquisador Bryan Fry, da Universidade de Melbourne. 

Esses lagartos também são venenosos, mas ao contrário do que acontece com as cobras, o veneno do dragão-de-Komodo não é injetado na pele de suas vítimas. Nesse caso, o animal derrama o líquido em feridas maiores que foram abertas após um ataque.

3. Predador voraz

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

Aproveitando seu tamanho avantajado, não é surpresa para ninguém que o dragão-de-Komodo consiga enfrentar vítimas um tanto quanto mais largas. Por esse motivo, é comum que esses lagartos sejam vistos se alimentando de javalis, veados e búfalos de água.

Para conseguir capturar suas prezas, eles dependem principalmente de armar emboscadas. Como sua coloração se mistura bem com a terra, permanecem parados até algum animal azarado cruzar seu caminho. Depois disso, correm para o ataque e utilizam seu veneno para não deixar a vítima escapar.

4. Armadura resistente

(Fonte: Universidade do Texas/Divulgação)(Fonte: Universidade do Texas/Divulgação)

De baixo da sua camada de pele, cada dragão-de-Komodo tem centenas de pequenos ossos que formam uma estrutura de armadura. Mas do que essas criaturas precisariam se proteger? Segundo um estudo conduzido pela Universidade do Texas, nos Estados Unidos, a única criatura que realmente pode assustar um dragão-de-Komodo em seu hábitat é outro ser de sua espécie.

Por isso, eles desenvolvem depósitos ósseos em suas peles, conhecidos como osteodermos, uma vez que essas estruturas não são de nascença. Por fim, os osteodermos também podem ser usados pelos pesquisadores para estimar a idade de um dragão-de-Komodo e observar seu crescimento.

5. Refeições pesadas

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

Na hora que a fome bate, um dragão-de-Komodo consegue devorar cerca de 80% do peso do seu corpo em uma única sentada. Após esse banquete, é comum que eles se direcionem até o sol, visto que o calor ajuda com o seu processo digestivo. Por fim, os répteis costumam regurgitar uma "pelota gástrica". 

Essa pelota contém chifres, cabelos, dentes e outros pedaços da presa que não podem ser digeridos. Como o metabolismo do dragão-de-Komodo é bastante lento e eles comem bastante coisa de uma vez só, eles podem sobreviver 1 mês inteiro com uma única refeição.

6. Criaturas ágeis

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

E se você pensa que um lagarto desse tamanho seria devagar, você não poderia estar mais errado. Por serem bastante musculosos, os dragões-de-Komodo conseguem alcançar velocidades bastante razoáveis para sua espécie. Em média, esses animais podem chegar até 19 km/h.

Para métodos de comparação, um ser humano médio costuma correr a 24 km/h. Portanto, caso você se depare com um deles, corra como se a sua vida dependesse disso, mesmo que as estatísticas estejam a seu favor — apenas 4 pessoas foram mortas por dragões-de-Komodo nos últimos 41 anos. 

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.