O que define um hipster? Esse termo surgiu no começo dos anos 2000 para se referir a pessoas que costumavam apostar na aparência, mas sempre com um visual mais retrô e vintage. Chapéu, óculos wayfarer, calça skinny, camisas xadrez, barba comprida, gosto musical mais alternativo: são vários os fatores usados para determinar quem faz e quem não faz parte dessa cultura.

O termo é derivado de “hip”, que surgiu na década de 40 para se referir aos brancos norte-americanos que imitavam os “descolados” negros do jazz – as aspas são para ressaltar o significado do termo, nada de ironia, ok? Décadas depois, isso virou um lance cada vez mais comercial, algo que a própria cultura hipster deveria ser contra.

bar hipster

Para explorar um pouco essa tendência, o artista visual Max Dovey criou uma instalação itinerante chamada “a hipster bar” (ou “um bar hipster”), assim mesmo, em minúsculo, no qual apenas os genuinamente hipster podem entrar. Ele desenvolveu um programa de computador que fotografa as pessoas na entrada do espaço e as analisa através de uma inteligência artificial, que calcula o quão hipster elas são!

Assim, o “hipstômetro” só libera a entrada para quem atingir mais de 90% no teste! Dovey constantemente atualiza a plataforma com imagens a serem comparadas pela inteligência artificial, para ela estar sempre antenada com as “mais recentes modas antigas” que os hipsters de hoje em dia estão usando.

HipstômetroHipstômetro

Segundo Dovey, a ideia de usar uma tecnologia de ponta para identificar pessoas que se identificam com o passado é proposital, justamente para mostrar que, se até uma inteligência artificial consegue perceber que você é hipster, talvez seja hora de rever esse conceito que começa a ficar... ultrapassado! Pegou pesado, hein?

Bar hipsterMax Dovey questiona o futuro do movimento hipster