Bucho furado: homem é banido de buffet livre por comer demais
449
Compartilhamentos

Bucho furado: homem é banido de buffet livre por comer demais

Último Vídeo

Restaurantes com buffet livre são uma maravilha para quem quer encher o bucho por um preço fixo. Lugares que oferecem rodízio também têm a mesma proposta, mas é esperado que, apesar de um ou outro ser mais comilão, quase todo mundo tem um limite estomacal. Menos Jaroslav Bobrowski: esse cara não conhece limites.

O cara é alemão, tem 30 anos, trabalha como engenheiro de softwares e treina para triátlons nas horas vagas. Por conta das competições esportivas, ele segue uma dieta meio maluca, na qual fica 20 horas sem comer nada e depois se empanturra com o que tiver pela frente. Foi então que ele descobriu o restaurante japonês Running Sushi, na cidade de Landshut, que cobrava apenas € 15,90 – pouco menos de R$ 80 – para a pessoa se servir à vontade. Ele passou a frequentar o local com assiduidade.

Jaroslav BobrowskiJaroslav Bobrowski comeu 100 pratos de sushi

No último final de semana, Bobrowski foi ao restaurante com a namorada e comeu nada menos do que 100 pratos de sushis! O dono do lugar e os garçons já o conheciam de outras ocasiões, mas essa foi a gota-d’água. Por isso, ele foi pedido para se retirar, se não os sushis para os demais clientes iriam acabar – a estimativa é que cada pessoa pede de 20 a 25 por refeição.

E você acha que esse apetite voraz se reflete no peso do atleta? Nem um pouco: ele tem apenas 79 kg, bem distribuídos em 1,72 m de altura. Bobrowski reclamou do banimento nas avaliações do Google, mas o dono do restaurante respondeu que lamentava expulsá-lo do lugar, mas ele come igual a 4 ou 5 pessoas normais, então fica difícil aguentar...

***

Você conhece a newsletter do Mega Curioso? Semanalmente, produzimos um conteúdo exclusivo para os amantes das maiores curiosidades e bizarrices deste mundão afora! Cadastre seu email e não perca mais essa forma de mantermos contato!

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.