7 atrações que fizeram sucesso nos 'freak shows' do passado
12
Compartilhamentos

7 atrações que fizeram sucesso nos 'freak shows' do passado

Último Vídeo

Durante os séculos 19 e 20, pessoas que nasciam com deformações físicas normalmente eram abandonadas por seus genitores e, desacreditadas pelos médicos, não tinham expectativa alguma de sobreviver. Uma alternativa encontrada por esses indivíduos era se render aos donos de circos, que viam nas suas anomalias uma oportunidade de lucro.

Chamadas de "freak shows" (algo como 'show de horrores'), essas apresentações eram o ponto alto da programação de circos itinerantes — que, naquela época, eram uma das poucas e mais populares opções de entretenimento a que a população tinha acesso. A seguir, você confere algumas dessas atrações que fizeram sucesso antigamente:

1. A Mulher Barbada

Os pelos faciais de Annie Jones começaram a surgir em seu rosto em seus primeiros meses de vida. Popularmente conhecida como "Mulher Barbada", ela foi uma das atrações mais populares da sua época.

2. Gêmeos siameses

Nascidos em 1811, os gêmeos siameses de origem tailandesa Chang e Eng Bunker foram contratados por um circo itinerante norte-americano e estiveram em turnê durante 3 anos. Eram ligados apenas pelo fígado; o resto dos órgãos eram independentes um do outro.

3. A Pé-Grande

Conhecida como "A Garota Pé-Grande de Ohio", Fanny Mills, nascida em 1860, era portadora do Mal de Milroy — condição que fazia com que seus membros inferiores fossem maiores do que o normal.

4. O Garoto-Lagosta

Portador de ectrodactilia — condição que faz com que os dedos das mãos e dos pés se unam, como se fossem garras —, Grady Franlkin Stiles Jr. fez bastante sucesso na primeira metade do século 20. Na ocasião, ele era anunciado como "Garoto-Lagosta".

5. O Esqueleto Humano Vivo

Quando entrou na puberdade, Isaac W. Sprague começou a perder peso e massa magra vertiginosamente. A dificuldade para encontrar um diagnóstico para a doença e a sua incapacidade para executar trabalhos pesados o levaram, em 1865, a fazer parte de um circo de horrores, no qual era anunciado como "O Esqueleto Humano Vivo".

6. O Homem-Cachorro

O russo Fedor Jeftichew, mais conhecido como Jo-Jo, era portador de uma doença chamada hipertricose, que fazia com que pelos crescecem de forma excessiva por todas as partes do seu corpo. Em suas apresentações, ele era divulgado como o "homem-cachorro".

7. O homem de duas cabeças

O hispânico Pasqual Pinon pintava um rosto no tumor que crescia em sua cabeça e percorria os Estados Unidos, em circos itinerantes, se apresentando como "O Mexicano de Duas Cabeças".

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.