Seja o primeiro a compartilhar

5 expressões que são racistas e você não sabia

Entre 1550 e 1888, o Brasil vivenciou mais de 3 séculos de escravidão. Em 300 anos de injustiça e opressão com a população negra, muitas pessoas tiveram que sofrer caladas e um legado negativo foi deixado para as próximas gerações. Por mais que a luta contra o preconceito e o racismo tenha ganhado maiores proporções no século XXI, ainda existem algumas marcas do passado que precisam ser mudados.

Por exemplo, a língua portuguesa ainda conta com algumas expressões de conotação racista que você provavelmente não fazia ideia do significado. Por isso, nós separamos uma lista com cinco palavras ou frases que não deveriam fazer parte do seu vocabulário daqui para frente. Olha só!

1. "Eu não sou tuas negas"

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

Não é necessário muito esforço para perceber que algo está errado com essa frase, mas mesmo assim ela ainda é bastante usada na linguagem informal. Na época da escravidão, as mulheres negras eram consideradas "propriedades" dos senhores brancos, o que leva a um passado de estupros, agressões e assédio.

Por esses motivos, essa expressão tem um fundo racista.

2. Criado-mudo

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

O termo "criado-mudo" é corriqueiramente usado para denominar o pequeno móvel que fica ao lado da cabeceira da cama. Porém, essa é outra expressão que remete ao passado de escravidão no Brasil. Naquela época, alguns dos escravos eram responsáveis por tomar esse canto do quarto e segurar coisas para seus senhores sem poder fazer qualquer tipo de barulho.

Daí vem a existência do "criado-mudo" e por isso a definição é bastante errada.

3. Doméstica

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

A palavra "doméstica" geralmente aparece na linguagem popular para definir o trabalho de faxineira ou diarista. O que muitos não sabem, entretanto, é que a expressão era utilizada para definir as escravas negras que trabalhavam nas casas das famílias brancas e eram consideradas "domesticadas".

Durante a escravidão, os negros eram vistos como animais que precisavam ser domesticados através da tortura e de punições.

4. Cabelo ruim

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Uma expressão com cunho bastante racista é a frase "ter cabelo ruim". O termo mostra uma depreciação do cabelo afro e corpo negro, que foi reprimido durante vários séculos para se parecer ao máximo com a estética branca. Por conta disso, a indústria de cosméticos por muito tempo incentivou o alisamento dos cabelos crespos e excluiu a beleza negra.

5. Cor do pecado

(Fonte: Unsplash)(Fonte: Unsplash)

Quando uma mulher é chamada de "cor do pecado", a expressão normalmente aparece na intenção de elogiar. Entretanto, existem duas problemáticas que envolvem esse tema.

Em primeiro lugar, a frase está diretamente associada ao excesso de sensualização sobre o corpo da mulher negra. Além disso, a ideia de pecado releva como ser negro era considerado algo negativo e errado durante a escravidão.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.