Como a falta de aulas presenciais afeta os estudantes?

A pandemia da covid-19 mudou completamente os hábitos e a rotina de quase todas as pessoas. Nesse sentido, os jovens são uma parcela bastante afetada, considerando que aulas foram suspensas, além de outras atividades, como os encontros com colegas e amigos.

Embora não sejam grupo de risco ao novo coronavírus, ainda assim os jovens precisam manter medidas de proteção e o isolamento social da mesma forma. Com isso, pode surgir o questionamento: qual o sentimento desses jovens estudantes diante do cenário atual? Qual é o impacto da saudade das aulas presenciais em seu dia a dia?

(Fonte: Unsplash)(Fonte: Unsplash)

Lidar com a saudade da escola se tornou um desafio

O desafio de lidar com o sentimento de saudade das aulas presenciais é imposto não apenas aos estudantes, mas também aos pais e às instituições de ensino. Nesse aspecto, a professora Marilene Proença, do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (USP), reforça que para os adolescentes esse momento é especialmente difícil, visto sua maior necessidade de interação social.

Ela destacou também que "o território escolar representa um importante espaço em que a diversidade de perspectivas, possibilidades, saberes, projetos e sentimentos circulam diariamente", o que evidencia que essa saudade por parte dos estudantes está relacionada ao contexto da escola como um todo.

Sendo assim, embora os conteúdos ainda estejam sendo aplicados e o aprendizado possa não ter sido totalmente comprometido, os jovens anseiam voltar à escola uma vez que a ausência de interação social com colegas, professores e tudo o que está envolvido no ambiente escolar não pode ser suprida por uma videoconferência.

Não há uma fórmula para lidar com esse sentimento, considerando a incerteza do momento atual — mesmo com o retorno do ensino híbrido em algumas localidades.

Entretanto, a professora Marilene Proença enfatiza que algo importante nesse período é que os pais demonstrem abertura para que os filhos expressem esses sentimentos. O assunto também pode ser pauta de debates e rodas de conversa com a escola, a fim de que os jovens possam realizar trocas e ouvir uns aos outros.

Dessa maneira, evidenciando a noção de coletividade e reforçando que esse é um sentimento coletivo e que faz parte da rotina da grande maioria dos estudantes.

(Fonte: Unsplash)(Fonte: Unsplash)

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.