Como um submarino alemão afundou por causa de cocô
08
Compartilhamentos

Como um submarino alemão afundou por causa de cocô

Último Vídeo

Os submarinos são ótimos recursos militares de qualquer frota naval, pois permitem que países infiltrem linhas inimigas e coletem informações preciosas sem serem detectados. Porém, se você estiver a uma distância perigosa de sua base, é melhor não ter que emergir, devido ao risco de ser descoberto e afundado. 

Os submarinos foram usados pela primeira vez na Primeira Guerra Mundial, mas foi na Segunda Guerra Mundial que eles ganharam destaque e foram vitais para promover ataques e defender territórios. E embora eles fossem considerados recursos estratégicos, os submarinos não foram desenhados para oferecer o mínimo conforto aos seus tripulantes.

1

Apertado e fedido

O espaço era extremamente limitado, o mau cheiro, quase insuportável, e havia apenas dois banheiros para toda a equipe. Os submarinos alemães eram ainda piores: não existiam tanques de armazenamento para os toaletes, o que significava ter que jogar os dejetos diretamente na água. 

Dessa forma, a única maneira de se livrar de toda a “produção” da equipe do submarino era quando o veículo emergia na superfície. E como obviamente a tripulação precisava ir ao banheiro enquanto o submarino estava submerso, isso resultava em uma quantidade abundante de resíduos espalhados pelas salas. Se o cheiro já era ruim normalmente, nessa condição chegava a níveis repugnantes. 

2

Modernização, mas nem tanto

Os submarinos foram modernizados anos depois, com a chegada do modelo U-1206, mas isso não significou grandes alterações para os banheiros. A única modificação foi no aumento na pressão dos toaletes, permitindo que as descargas dos vasos fossem mais intensas. Porém, o processo se tornou tão complexo que alguns membros da tribulação tiveram que ser treinados para realizar a tarefa. 

Em determinada ocasião, o capitão Karl Adolf Schlitt precisou usar o banheiro quando o submarino que ele comandava estava há uma semana posicionado a 200 pés abaixo da superfície próximo à costa escocesa. Ele tentou dar a descarga, mas, devido à dificuldade do manual de instruções, acabou chamando um dos especialistas. 

3

Um erro fatal

Ele, então, abriu a válvula exterior, enquanto a interior ainda estava aberta, permitindo que uma torrente de água constante entrasse no submarino. Infelizmente, a água encharcou as baterias, espalhando gás clorado dentro do recinto, o que era absolutamente fatal. A fim de evitar um desastre, o capitão Schlitt tomou a corajosa decisão de levar o submarino para a superfície de modo receber ar respirável.

Entretanto, eles foram vistos por uma aeronave, que atirou e danificou o submarino de tal forma que eles não puderam mais submergir novamente. O saldo final foi um membro morto a tiros, três afogados, trinta e seis resgatados por pequenas embarcações da vizinhança e dez capturados pelas forças de oposição. 

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.