Confusão bíblica: estudioso treteiro sugere que Cristo era um Drag King
261
Compartilhamentos

Confusão bíblica: estudioso treteiro sugere que Cristo era um Drag King

Último Vídeo

Todo mundo já ouviu aquele papo de que futebolpolíticareligião são temas que não se discutem, certo? Mas é que nós aqui do Mega Curioso nos deparamos com uma polêmica tão polêmica que não resistimos à tentação de compartilhá-la com você. Mas, antes de a gente expor a controvérsia, queremos deixar bem claro que não vamos adotar nenhum posicionamento e que estamos simplesmente dividindo a opinião — como mínimo — curiosa de terceiros. Não fomos nós do Mega que inventamos essa parada, tá? Não brigue com a gente!

Treta bíblica

Enfim, de acordo com Narjas Zatat, do Independent/Indy100, o bafafá surgiu depois da publicação de um artigo em um periódico estudantil chamado The Fenwick Review, de uma faculdade católica de Massachusetts, nos EUA, chamada College of the Holy Cross, dirigida por jesuítas. O tal artigo é de autoria de Elinor Reilly, ex-aluna da instituição, e, nele, ela cita a análise pouco convencional que um cara chamado Tat-Siong Benny Liew — que é professor de teologia e Diretor de Estudos sobre o Novo Testamento na faculdade — fez de Jesus.

Jesus de NazaréOi? (Independent/Indy100/Flickr/James Shepard)

Segundo Narjas — e Elinor —, Liew sugere que Cristo não era nem homem ou mulher, mas possivelmente um Drag King. Para quem não sabe, os Drag Kings são o oposto das Drag Queen, isto é, são mulheres que se vestem como homens para personificar personagens do gênero masculino. Vai vendo...

Homem personificando Cristo(Fox News)

Como se fosse pouco, além de sugerir que Cristo não era biologicamente homem, o professor também revisita a Última Ceia e defende que, quando Jesus lava os pés de seus discípulos, uma ação que era tradicionalmente realizada por mulheres, ele faz isso de forma sedutora, uma vez que, segundo Liew, Cristo teria removido sua túnica diante de seus seguidores e voltado a vesti-la depois durante esse episódio — o que levou o professor a relacionar a coisa toda com um streaptease.

Aliás, Liew chegou a analisar outros episódios descritos na Bíblia, como a crucificação, e também chegou a conclusões bem controversas. E de onde o cara tirou essas ideias todas? De acordo com o artigo de Elinor, o professor se baseou nos relatos de João presentes no Novo Testamento e ele acredita que, embora o apóstolo não faça qualquer referência direta à anatomia de Cristo, ele deixa a questão do gênero — feminino ou masculino — em aberto.

Real ou fake?

Olha, caro leitor, as análises de Liew são tão controversas e — independentemente da crença de cada um — tão distantes de todas as descrições e informações que existem sobre Jesus (que não são poucas!), que nós aqui do Mega ficamos nos perguntado se essa história toda não era alguma pegadinha bizarra de 1° de Abril. Pode ser que seja mesmo, e se descobrimos que tudo não passa de fake news, a gente volta para fazer uma atualização!

Tat Siong Benny LiewEsse é o professor, e a faculdade é a que aparece ao fundo (Fox News)

De qualquer forma, nós fizemos uma busca e encontramos o link para o artigo de Elinor (você pode acessá-lo aqui), para a bio do professor no site da faculdade (disponível neste link) e descobrimos que o caso foi replicado por diversos sites. Entre as reações que encontramos, parece que Robert J. McManus, bispo de Massachusetts, teria chamado as afirmações de Liew de blasfemas e teria dito que estava profundamente preocupado que uma pessoa com visões tão polêmicas sobre a sexualidade de Jesus fosse diretor de um departamento em uma instituição católica.

Também encontramos informações de que o artigo de Elinor teria sido baseado em estudos que Liew publicou há cerca de uma década e que não são usados em sala de aula pelo professor. E parece que está rolando uma petição online, organizada por pais de alunos e estudantes da faculdade, para que Liew, o blasfemo, seja expulso.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.