Prematuro declarado morto mostra sinais de vida antes de cremação

Prematuro declarado morto mostra sinais de vida antes de cremação

Último Vídeo

Pense na terrível situação desta família: como se não fosse trágico o suficiente dar a luz a gêmeos prematuros e receber a notícia de que nenhuma das crianças resistiu, imagine saber que, depois de os bebês (supostamente) passarem por todos os protocolos que existem para esses casos, um deles mostrou sinais vida enquanto seu corpinho era preparado para a cremação. Devastador, não é mesmo? Pois, de acordo com o portal de notícias El País, isso que acabamos de descrever foi registrado na Índia recentemente e está dando o que falar por lá.

Inaceitável

O caso se deu em um dos centros mantidos por um famoso hospital particular de Nova Delhi no último final de semana e, de momento, resultou na demissão de dois médicos e na abertura de um inquérito. Segundo o El País, a investigação gira em torno de dois bebês — um casal — que nasceram com 24 semanas de gestação. Até onde foi divulgado, enquanto a menininha nasceu sem vida, o garotinho teria sobrevivido durante algumas horas, mas acabou não resistindo.

Protestos em Nova DelhiO caso gerou protestos em Nova Delhi (Hindustan Times/HT photo)

Contudo, enquanto Ashish Kumar, o pai das crianças, levava os gêmeos ao crematório para que seus corpinhos fossem incinerados, ele percebeu que uma delas — o menino — ainda estava viva e se retorcendo no interior da bolsa plástica na qual os médicos tinham colocado o bebê. Ao se deparar com essa horrível situação, Ashish se dirigiu às pressas a outro hospital, onde o bebê foi admitido em estado crítico.

Os pais afirmam que os médicos garantiram que as duas crianças haviam falecido — e que a notícia teria sido transmitida depois que o casal revelou que não tinha condições de pagar os valores que o hospital cobraria pelo internamento dos gêmeos. Os profissionais envolvidos no caso foram demitidos por suspeita de negligência grave e, como você já deve ter deduzido, as investigações também estão focadas em averiguar a possibilidade de que se trate de um homicídio.

Repercussão

Caso as autoridades concluam que houve negligência e que o pessoal do hospital está de fato envolvido em um delito grave, a instituição — chamada Max Super Specialty Hospital, que conta com 330 leitos e já tratou quatro milhões de pacientes — poderá perder a licença de funcionamento. Vale destacar que esta é a segunda vez este ano que um hospital particular indiano se vê envolto em um escândalo relacionado com a morte de crianças e o alto custo de tratamento.

Max Super Specialty HospitalMax Super Specialty Hospital (Wikimedia Commons/Binodkpn)

Há alguns meses, uma menina faleceu de dengue em outro hospital privado e os pais afirmam que a instituição cobrou um valor mais elevado que o informado pelo tratamento. Agora, com a divulgação do incidente envolvendo os gêmeos, as autoridades indianas estão discutindo a qualidade dos serviços oferecidos pelas clínicas particulares do país.

Com relação à sobrevivência de bebês prematuros, segundo o El País, 70% dos gêmeos nascem antes de a gestação completar 37 semanas — quando o esperado é que, em condições normais, a gravidez dure entre 37 e 41 semanas. Antes de 34 semanas de gestação, os pulmões das crianças ainda não estão completamente “maduros” e, por isso, elas precisam de cuidados médicos intensivos. Já as que nascem com menos de 28 semanas e com peso abaixo de um quilo são as que correm mais riscos de apresentar problemas neurológicos, digestivos, pulmonares e até sequelas de longo prazo.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.