10 pinturas macabras mostram que a arte também pode ser perturbadora
3.714
Compartilhamentos

10 pinturas macabras mostram que a arte também pode ser perturbadora

Último Vídeo

1. “Uma marionete para a sobrinha”, de Santiago Caruso

Nascido na Argentina em 1982, o pintor é conhecido por suas pinturas com temáticas aterrorizantes

2. “Lúcifer”, de Francesco Scaramuzza

Esta pintura apareceu em “Inferno”, a primeira parte de “A Divina Comédia”, de Dante Alighieri

3. “Estudo sobre as cabeças de vítimas de tortura”, de Théodore Géricault

Nesta, assim como em muitas das suas obras, Géricault se utiliza de partes reais do corpo humano para dar vida à sua arte. Através dela, ele procurava questionar o monarquismo e a ciência na França

4. “A face da guerra”, de Salvador Dalí

Temática recorrente em suas obras, o terror da guerra sempre atiçou a criatividade do pai do surrealismo

5. “Deterioração da mente sobre a matéria”, de Otto Rapp

O austríaco pintou em 1973 este crânio humano em estado de putrefação sobre uma gaiola

6. “Saturno devorando seu filho”, de Peter Paul Rubens

A obra faz uma referência ao mito grego do deus Cronos (Saturno, na mitologia romana), que come seus filhos recém-nascidos para impedir que eles tomem o seu poder

7. “Inferno”, de autor desconhecido

Esfaqueamento, suspensão e banho de enxofre: essa representação descreve os vários tipos de tortura que os homens experimentam no inferno

8. “Trouxas II”, de Fábio Magalhães

Parece fotografia, mas são só os traçados realistas do brasileiro Fábio Magalhães

9. “Degas é envelhecida”, de Valério Carruba

Esta pintura hiper-realista mostra uma paciente, aparentemente calma, tendo seus órgãos internos dilacerados

10. “Inferno”, de Hans Memling

Pois é, não só de bandeja de frutas e belas paisagens vivem os pintores! Prova disso é essa obra de um pintor alemão que retrata a vitória do diabo sobre os homens

Qual produção artística mais chocou você? Comente no Fórum do Mega Curioso!

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.